Documentação Japão

Como tirar o visto de turismo para o Japão

Para ingressar no Japão é necessário visto de entrada no país. Esse visto deve ser tirado junto a um Consulado japonês, porém algumas regras devem ser seguidas, bem como analisar os documentos necessários. Preparamos este post com a intenção de ajudar nessa etapa burocrática porém imprescindível para sua viagem ao país do sol nascente.

Esse visto pode ser tirado no Consulado do Japão da sua cidade, caso não exista um, é necessário procurar nas cidades que atendam a sua jurisdição. Um site tem a lista de todos os consulados e escritórios consulares do Japão no Brasil, com seus respectivos endereços. Como moro no Rio de Janeiro, tirei o meu visto japonês no Consulado Geral do Japão que fica na Praia do Flamengo.

Duas coisas são importantes antes de tirar o visto

Já ter comprado a sua passagem de ida e volta para o Japão; e elaborar um cronograma de viagem, com as cidades e hotéis (ou endereço residencial) onde vai ficar nas respectivas cidades.

Com isso em mãos, é necessário aguardar 3 (três) meses antes da viagem para dar entrada no seu visto, ou seja, não adianta tirar o visto com muita antecedência porque ele perderá validade e você terá que fazer o processo novamente. Minha entrada no Japão foi dia 06 de agosto, então eu poderia dar entrada no meu visto três meses antes dessa data. Tendo como base que o período de entrega do visto é de 2 (dois) dias úteis, dei entrada no meu visto no começo de julho, mais ou menos um mês antes.

Os documentos necessários para tirar o visto para o Japão

  • Passaporte válido, o que significa estar dentro da data de validade;
  • Formulário de Pedido de Visto para entrar no Japão preenchido (basta clicar no link);
  • Uma foto 3 x 4 (nítida, recente e fundo branco) – no formulário acima aparece foto 45x45mm, eu levei a 3×4 e deu tudo certo;
  • Passagem (original e cópia) ou print da reserva – eles conferem a data da ida e volta com o cronograma que você apresenta;
  • Cronograma da viagem preenchido (basta clicar no link) – colocar data de chegada na cidade, nome da cidade e local de estadia, repetindo o processo para cada cidade que você vai visitar no Japão;
  • Comprovante de renda (original e cópia) – eu levei cópia da declaração e recibo de entrega do imposto de renda.

O visto japonês tem preço diferente para uma entrada e para múltiplas entradas. Como saber isso? Caso você vá apenas para o Japão, entrando e saindo uma única vez, seu visto é de uma entrada. Caso você chegue no Japão, saia para conhecer outro(s) país(es) e depois volte para o Japão (independente do tempo que você fique em outro destino), você precisará do visto de múltipla entrada, inclusive deverá incluir esse(s) país(es) extra(s) que vai visitar em seu formulário de cronograma de viagem. Como já mencionei acima, o visto de turismo para o Japão é emitido em 2 dias úteis, a contar do dia seguinte à solicitação.

Como foi minha ida ao Consulado

Não é preciso marcar hora no Consulado, basta levar os documentos ao local e se identificar. Não há um traje específico no site do Consulado, mas nessas horas o bom senso conta e muito. Lembre-se que você está indo para um departamento público de outro país. Na entrada, sua bolsa passa em um raio X, assim como você. Não há necessidade de deixar a bolsa em locker, ao menos no Consulado do Rio.

Em posse de todos documentos, aguardei minha vez para apresenta-los ao funcionário consular no guichê. Uma vez conferidos todos os documentos, eles retêm seu passaporte e entregam um tíquete que você deve levar dois dias úteis depois para pegar seu passaporte já com o visto japonês nele. Importante ressaltar que a taxa é paga em dinheiro e apenas na retirada do passaporte com o visto. Caso você não possa retirar seu passaporte, pode enviar alguém com o tíquete para retirar por você. O visto japonês vem colado no seu passaporte.

Algumas dicas preciosas

Além do IR, pode ser interessante também levar os últimos 3 contra-cheques (se houver); carta da empresa onde você trabalha em papel timbrado e assinada pelo seu superior comprovando o vínculo empregatício (com dados de quando você começou, seu cargo e remuneração atual), se houver também.

Caso possua alguma quantia em poupança ou aplicação de resgate imediato que supere USD 2.000 por mês de estadia no Japão (caso a estadia seja igual ou menor a 1 mês) e USD 1.200 por mês de estadia (caso a estadia seja maior do que 1 mês), também é interessante levar.

Sempre que um consulado solicita comprovação de rendimentos, a documentação acima é a mais indicada por não deixar dúvidas quanto ao vínculo atual com o Brasil e rendimentos mensais também. Dependendo do IR apresentado, ela poderá ser dispensada no caso do Japão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *