roteiro pelo Japão
Hiroshima Japão Kyoto Matsumoto Osaka Tóquio

Dicas de como elaborar um roteiro pelo Japão

O Japão é destino dos sonhos de muitos turistas e com a chegada dos Jogos Olímpicos de 2020, o país deve receber muitos brasileiros. Como o trajeto de viagem a partir do Brasil é bem longo, ao elaborar um roteiro pelo Japão é ideal que se tenha em mente que são necessários pelo menos 15 dias de viagem no país. Dessa forma, você conseguirá aproveitar bem a viagem, já considerando um descanso pós-jetlag.

Quando comecei a pensar na minha viagem para o Japão, a primeira coisa foi definir quais cidades conhecer e como dividir os 19 dias que eu teria no país. Importante ressaltar que você precisará apresentar um roteiro – ou ao menos um rascunho bem elaborado dele – no momento da solicitação do visto. Claro que esse roteiro ainda poderá mudar durante a viagem, mas é preciso uma ideia central. Saiba como tirar o visto para o Japão.

Quando conhecer o Japão

A primeira decisão a se levar em consideração é a época da viagem. Eu fui em agosto, em pleno verão, e a incidência de sol – exceto em Tóquio – foi diária, gerando um calor muitas vezes exaustivo. Por isso, leve sempre água, boné e muitas vezes um guarda-chuva que servirá como guarda-sol e você ainda estará super “in”, pois os japoneses fazem o mesmo em seu cotidiano. Para ver as cerejeiras florescendo, a melhor época é a primavera, nos meses de março e abril.

Outro fator importante para elaborar seu roteiro pelo Japão é decidir se vai visitar as duas grandes ilhas que formam o país: Hokkaido (parte menor ao norte) e Honshu (a maior parte do país). Como eu fui no verão, acabei deixando Hokkaido de lado, já que lá se concentram os principais destinos de inverno. Claro, que no verão, a ilha também apresenta seus atrativos, porém se torna um atrativo a mais no inverno, quando a neve é mais frequente.

Um conselho é consultar o calendário das festividades japonesas, pois se conciliar com a data escolhida para sua viagem, é uma ótima oportunidade para incluir determinada cidade em seu roteiro. Em agosto, são vários festivais acontecendo no país e durante nossa viagem, presenciamos diversos rituais bem interessantes nas cidades que visitamos.

Quais cidades incluir no seu roteiro pelo Japão

Os principais voos que chegam e saem do Japão, passam por Tóquio. Portanto, considere ficar alguns dias na capital japonesa, que mistura o tradicional e moderno com maestria. Uma dica que funcionou muito bem para mim foi dividir a estadia em Tóquio em duas partes. Uma no início e outra no final da viagem, já que meu voo chegava e partia de lá. Saiba o que fazer em Tóquio.

Para se deslocar pelo Japão, a melhor forma são os trens da Japan Rail, os famosos trens bala (JR). Para evitar gastos maiores comprando as passagens isoladas, a melhor dica é adquirir – ainda no Brasil – o Japan Rail Pass. Ele dá acesso ilimitado aos trens entre cidades por um número de dias, que o viajante escolhe. Saiba todos os detalhes sobre como comprar e usar o Japan Rail Pass.

A partir de Tóquio, escolhi três cidades frequentemente visitadas: Osaka, famosa pelo seu castelo; Hiroshima, conhecida por ter se reerguido após ser devastada pela primeira bomba atômica; e Kyoto, a cidade dos templos. Dois dias para Osaka e Hiroshima foram suficientes, assim como os cinco dias em Kyoto. Isso já incluindo as day trips para visitar cidades importantes, fáceis de acessar com o JR, mas que não necessitavam de pernoite.

No final da viagem, no percurso de retorno a Tóquio, incluí no roteiro, Matsumoto, cidade que abriga o castelo de madeira mais antigo do Japão. No inverno, é uma opção de cidade a visitar, já que é porta de entrada para os Alpes japoneses da ilha de Honshu. Meu roteiro final ficou como ilustrado abaixo.

Às vezes o deslocamento longo atrapalha seu roteiro

Por ser verão quando visitei o país, cheguei a cogitar conhecer as praias em Okinawa. A região é famosa pelos resorts, mas ao pesquisar, notei que o deslocamento para lá atrapalharia o roteiro. Isso porque o trajeto deve ser feito de avião. Além disso, o tempo para aproveitar bem a região, exigiria pelo menos de 4 a 5 dias, então deixei para uma outra oportunidade.

No mais, o Japão é um país muito diferente do Brasil em diversos aspectos – positivos e negativos – mas que encanta pelos seus contrastes e modernidade. Faça sua reserva de hotel no Japão por aqui e caso tenha alguma dúvida para elaborar seu roteiro pelo Japão, deixe seus comentários que responderei com todo prazer. Boa viagem!

Aproveite outras dicas para tornar sua viagem pelo Japão mais fácil:

Como tirar o visto para o Japão

Saiba como funciona o tax free no Japão

Viajando sem malas pelo Japão

Japan Rail Pass: a melhor forma de viajar pelo Japão

Leo Vidal
Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

9 thoughts on “Dicas de como elaborar um roteiro pelo Japão

  1. Antes de viajar para um lugar o ideal é fazer antes um roteiro do lugar, escolher a cidade, os lugares para visitar, você deu várias dicas importantes de como organizar um roteiro pelo Japão, o Japão é um país fascinante que atrai muitos brasileiros, parabéns pelo post você ajudou muito com as suas dicas abraços.

  2. Olá , realmente o Japão é um sonho de turismo de muitos e o meu desde sempre . Amei as dicas de como elaborar um roteiro para meu sonho de viagem.

  3. Léo, muito legal seu post! Eu sou apaixonada pelo Japão e pelos ypês, mesmo que eu nunca tenha pisado os pés por lá… hehehe
    Está entre meus destinos a serem visitados um dia.
    Obrigada pelas dicas. Abraço.

    1. Oi Kelly, o Japão é sonho de consumo de muitos e confesso que foi um país que me surpreendeu bastante. Merece mesmo ser visitado e com calma. =)

  4. Oi, Leo, muito bom seu post, está me ajudando. Só uma observação: os Alpes são legais de serem visitados na primavera, aliás, é a alta temporada lá, pois formam-se paredões de neve acumulada durante o inverno de 18 metros de altra ao lado da estrada! Demais, né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *