Parque Memorial da Paz
Hiroshima

Parque Memorial da Paz: herança da tragédia em Hiroshima

Em 6 de agosto de 1945, às 8h15 da manhã, a cidade de Hiroshima foi vítima da primeira bomba atômica do mundo. A cidade inteira foi virtualmente destruída, com milhares de mortos. Os que conseguiram sobreviver sofreram e ainda sofrem danos físicos e psicológicos por conta dos efeitos da bomba. A herança dessa tragédia foi transformada no Parque Memorial da Paz.

Logo após a tragédia da explosão da bomba atômica, Hiroshima se reergueu, transformando-se em uma cidade da internacionalização, paz e cultura. Em 1º de abril de 1954, foi inaugurado o Parque Memorial da Paz. Considerado um local sagrado que transmite mensagens para o alcance da paz mundial, o parque tem acesso gratuito.

Além disso, abriga um museu e diversos monumentos em homenagem às vítimas da bomba. Por isso, se você quer conhecer melhor essa parte da história mundial, deve incluir a visita no seu roteiro por Hiroshima.

Nos hospedamos no Ana Crowne Plaza, próximo ao Parque Memorial da Paz, pois nosso principal objetivo era conhecer o parque. No entanto, os hotéis mais famosos da cidade se encontram distante, mas com fácil acesso via transporte público.

Museu Memorial da Paz de Hiroshima

Uma das atrações, cujo ingresso é pago e adquirido na bilheteria do local, é o Museu Memorial da Paz de Hiroshima. Nele é contada a história de Hiroshima antes e depois da bomba atômica. Estão expostos ainda pertences deixados pelas vítimas, fotos e outros materiais que conotam o horror de tal evento.

Quando visitei o museu em agosto de 2016, o Edifício Leste estava em obras para renovação e todo conteúdo condensado no Edifício Principal. Primeiramente, pudemos ver artefatos da bomba atômica, relatando como ela foi construída e como ocorreu o bombardeio em 1945. Ademais, exemplos de danos causados pela radiação e pelos raios de calor, assim como pela onda explosiva. Chama atenção uniformes de colégio queimados, janelas de ferro entortadas pela explosão e até a sombra de uma pessoa deixada em uma pedra branqueada pelos raios de calor.

Museu Memorial da Paz de Hiroshima
Museu Memorial da Paz de Hiroshima

Por fim, passamos por uma área com testemunhos gravados por sobreviventes da bomba atômica e conhecemos a história da pequena Sadako. A menina foi afetada pela bomba atômica aos 2 anos de idade. Dez anos depois, foi diagnosticada com leucemia e internada no Hospital da Cruz Vermelha do Japão.

Com o desejo de se recuperar e para suportar as dores causadas pela doença, ela acreditava que se fizesse 1.000 pássaros em origami, os “tsuru”, pudesse sair recuperada. Apesar da luta contra a doença, Sadako veio a falecer oito meses depois. Em uma singela homenagem à menina, diversos senhores aposentados e professores passam o dia nesta área, ensinando a arte de fazer tsuru, a partir da dobradura de papel.

Pavilhão Nacional de Hiroshima

A história de Sadako rendeu um monumento em sua homenagem no parque, o Children’s Peace Monument. Uma estátua de menina com braços abertos e um grande pedaço de papel dobrado saindo de cima de sua cabeça.

Children's Peace Monument no Parque Memorial da Paz em Hiroshima
Children’s Peace Monument

Em seguida, conheci o Pavilhão Nacional de Hiroshima do Memorial da Paz para as Vítimas da Bomba Atômica. Este pavilhão abriga em dois andares no subsolo, memórias e informações sobre as vítimas da bomba atômica.

Sem dúvida, a sala mais emocionante e impactante é o Hall of Remembrance (Sala das Recordações). Esta sala foi instalada em memória às vítimas com o desejo de descanso para suas almas e contemplação da paz. Nela foi reproduzida a cidade após o bombardeio, vista a partir do hipocentro, onde a bomba caiu. Um panorama de 360 graus, composto de 140 mil azulejos, que é a estimativa do número de pessoas que faleceram até o final de 1945, em decorrência do bombardeio.

Doze pilares de sustentação simbolizam a ligação entre a época da destruição deHiroshima e o tempo atual. Ao centro, uma fonte de água em oferenda às muitas vítimas que morreram de sede, esculpida em formato de um relógio, marcando 8h15 – horário do bombardeio.

Monumentos no Parque Memorial da Paz

Em seguida, visitei a área externa do Parque Memorial da Paz. Com fila para orações, oferendas e fotos, o Cenotáfio Memorial foi construído em 6 de agosto de 1952. Está localizado no centro do parque com o nome de todas as pessoas mortas pela bomba. O monumento está alinhado com a Chama da Paz e o Memorial da Paz de Hiroshima. A forma de arco representa um abrigo para a alma das vítimas, onde um epitáfio traz a inscrição “Descansai em paz, pois o erro jamais se repetirá.” A Chama da Paz foi acesa em 1964 e permanecerá assim até que todas as armas nucleares sejam abolidas do planeta.

Devido a grande população coreana que morava em Hiroshima, foi erguido um cenotáfio em memória das vítimas da bomba e do colonialismo japonês. O Monumento às Vítimas Coreanas é decorado com símbolos nacionais coreanos. Possui uma tartaruga como base, o que se explica pela inscrição lateral. Nela está escrito “As almas dos mortos sobem ao céu montadas em tartarugas.”, de acordo com as tradições coreanas.

Na intenção de que a paz mundial prospere e as armas nucleares sejam abolidas, outro símbolo presente no Parque Memorial da Paz é o Bell of Peace (Sino da Paz). O monumento foi inaugurado em 20 de setembro de 1964, com o propósito de fazer com que os sons da paz ecoem por todo o mundo e cheguem aos ouvidos de cada homem. As pessoas que visitam o parque são encorajadas a tocar o sino.

Monumentos do Parque Memorial da Paz em Hiroshima
Monumentos do Parque Memorial da Paz

A-Bomb Dome

Talvez o mais emblemático monumento do Parque Memorial da Paz seja o The A-bomb Dome. Originalmente construído em 1915, como Salão Municipal de Promoção Industrial de Hiroshima, o Genbaku Domu se encontrava em um raio de 100 metros do marco zero.

A estrutura em ruínas é um dos poucos edifícios que vemos atualmente, mantidos após a explosão. Uma prova real dos danos causados por uma explosão nuclear. O edifício está localizado às margens do rio Motoyasu-gawa, no qual milhares de pessoas se jogaram após o bombardeio, na tentativa de amenizar a dor, resultando em diversos corpos flutuando nas águas do rio.

Durante muitos anos, opiniões se dividiram sobre manter o prédio de pé. Porém, em 1966, o Conselho da cidade de Hiroshima achou por bem preservar a construção. Atualmente, ela faz parte do Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO e tem sido preservada no intuito de lembrar esse episódio tenebroso, que marcou para sempre a cidade de Hiroshima.

A-Bomb Dome no Parque Memorial da Paz
A-Bomb Dome

Memorial Tower for Mobilized Students e Red Bird

Por fim, próximo ao A-Bomb Dome, está a Memorial Tower for Mobilized Students. O monumento de 12 metros de altura e cinco andares é uma homenagem aos estudantes que sacrificaram seus estudos e suas vidas, durante a primavera de 1944, para trabalhar em função da guerra. A torre foi erguida em 1967 e até hoje são oferecidas flores e tsuru todos os meses.

Outro monumento interessante é o Red Bird. Ele comemora os grandes trabalhos de Miekichi Suzuki, um pioneiro que elevou as histórias tradicionais japonesas e infantis para a literatura. No topo do monumento esquerdo, um busto do escritor e ao lado, crianças ouvindo suas histórias. O nome do monumento se dá pelo título da revista “Akai Tori”, que em português significa pássaro vermelho.

Monumentos Red Bird e Memorial Tower for Mobilized Students
Red Bird e Memorial Tower for Mobilized Students

Esses são alguns dos mais imponentes monumentos presentes no Parque Memorial da Paz. Contudo, ao caminhar por todo parte é possível se deparar com estátuas e outros monumentos que simbolizam a paz, nesse sentido prestando homenagens às vítimas da guerra.

Ideal buscar um mapa logo na entrada do parque. A partir daí, seguir o caminho que leva a cada um deles. Certamente você irá se emocionar muito ao conhecer o parque e toda história contada através desses monumentos.

Faça sua reserva de hotel em Hiroshima

8 thoughts on “Parque Memorial da Paz: herança da tragédia em Hiroshima

  1. Assistimos alguns filmes a respeito da tragédia de Hiroshima e ficamos muito comovidos com o sofrimento da população local. Achei muito interessante poder visitar o Parque Memorial da Paz e adorei o nome, bastante controvérsia para as circunstâncias. Ano que vem iremos fazer uma viagem para o Japão e Hiroshima será um dos principais destinos já que gostamos de visitar lugares históricos dos países que viajamos.

    1. Victoria, separe um dia para conhecer o Parque Memorial da Paz e seu museu com calma e pausa para reflexão. Certamente será emocionante. Depois me conta.

  2. Memoriais como o da paz em Hiroshima são importantes para nos lembrar que os horrores da guerra não devem se repetir nunca mais. Gostei de conhecer esse espaço aqui no post e aprender um pouco mais sobre a história desse triste momento.

    1. Tem momentos da visita ao museu que nos choca ao pensar na crueldade da guerra. Mas quando saímos no Parque Memorial da Paz, a sensação é outra. Um sentimento de renovação e paz.

  3. Deve ter sido uma emoção conhecer o memorial de Hiroshima , uma tragedia que esperamos com fé que nunca se repita em nenhum lugar do mundo. i

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *