o que fazer em Belém
Belém

O que fazer em Belém em um roteiro de 2 dias

Para conhecer Belém, seu centro histórico e as demais atrações turísticas da cidade, dois dias inteiros são suficientes. Contudo, se puder estender essa visita por quatro dias, será possível conhecer Algodoal, uma vila bem visitada no nordeste do Pará. Como não consegui conhecer a vila, reuni neste roteiro o que fazer em Belém em 2 dias.

No primeiro dia pela manhã, o ideal é chegar por volta das 10h no Mercado-Ver-o-Peso para poder explorar esse local que além de ser um centro comercial, marcou o início da formação da cidade de Belém e se tornou uma grande atração turística. Explorar as barracas de “simpatias” com banhos para as mais diversas funções é conhecer um pouco mais do misticismo paraense. Quem tiver oportunidade, pode fazer compras dos ingredientes para preparar um bom peixe ou camarão no tucupi, facilmente encontrados no mercado de peixe e nas barracas de grãos. Se já estiver com fome, pode comer em alguma das barracas de comida no mercado.

A partir do Mercado, a próxima parada é a Praça Dom Frei Caetano Brandão onde estão localizadas duas das igrejas mais emblemáticas de Belém: a Igreja de Santo Alexandre, que abriga o Museu de Arte Sacra e a Catedral Metropolitana de Belém. No centro da praça, um busto em homenagem ao 4º bispo do Estado, que dá nome à praça. Frei Caetano Brandão foi nomeado bispo do Pará em 1782 e o busto em sua homenagem foi inaugurado em 1899, projetado pelo artista plástico Domenico de Angelis.

o que fazer em Belém

Na mesma praça está localizada a Casa das Onze Janelas e o Forte do Presépio, que abrigam museus que contam um pouco da história do Pará e da cultura indígena que ali habitava quando os portugueses chegaram e fundaram Feliz Lusitânia, primeiro nome da cidade de Belém. Finalizando o dia para assistir ao pôr-do-sol na Baía do Guajará, escolha a Estação das Docas. O complexo além de proporcionar uma vista incrível, abriga vários restaurantes, lojinhas e exposições. Se preferir, já escolha um dos restaurantes no local para jantar ou conheça o premiado Remanso do Bosque.

No segundo dia, comece seu roteiro um pouco mais tarde, por volta das 11h, no Mangal das Garças. O local é um verdadeiro espetáculo da natureza paraense, em meio ao ecossistema de mangue, às margens do rio Guamá. Algumas das atrações como o Viveiro das Aningas e o Farol de Belém, exigem ingressos pagos. Quando a fome bater, a sugestão é almoçar no restaurante que fica dentro do parque, o Manjar das Garças, que no horário de almoço oferece um sistema de buffet com comidas típicas paraenses e sobremesas deliciosas.

A próxima parada é na Praça Santuário de Nazaré, onde está a igreja mais importante da cidade, a Basílica Santuário Nossa Senhora de Nazaré. Conheça a área externa e o lindo interior da igreja, onde termina o famoso Círio de Nazaré. Se ainda tiver tempo, e vontade para umas comprinhas, passe no Espaço São José Liberto, antigo Convento de São José, que também já foi uma Cadeia Pública e hoje abriga uma feirinha de artesanato e também de joias, além do Museu de Gemas do Pará. Finalize o dia, no Sushi Ruy Barbosa, um sushi bar agradável e ótimo local para experimentar uma fusão da culinária japonesa com as iguarias paraenses, além de provar ótimos drinks.

Se estiver visitando a cidade em um final de semana, tente almoçar em algum dos restaurantes da Ilha do Combú. Nós optamos pelo Saldosa Maloca. Caso você tenha mais dias em Belém, recomendo passar ao menos 2 dias com um pernoite em Algodoal, já que a viagem demora em torno de 3 horas de ônibus ou carro, seguindo por meio das rodovias BR-316 e PA-127, de Belém até o porto da cidade de Marudá, de onde sai um barco para Algodoal. Amigos que foram, dizem ser linda. Pretendo conhecer na minha próxima ida a Belém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *