fazendas históricas do Vale do Café
Vale do Café

Roteiro pelas fazendas históricas do Vale do Café

O cultivo e produção do café foi um dos pilares econômicos no Brasil Império. A região produtora e café abrange atualmente três estados: Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Algumas fazendas históricas do Vale do Café se mantêm preservadas, de forma a contar a história do Brasil. Importante ressaltar que em algumas, a produção de café continua. Já outras se tornaram hotéis e pousadas que mantém o classicismo da época.

Roteiro pelo Vale do Café no Rio

Primeiramente, é preciso mencionar que a região do Vale do Café no estado do Rio de Janeiro, possui mais de 10 fazendas históricas. Conhecer as fazendas históricas do Vale do Café é vivenciar uma experiência única em municípios no interior do estado do Rio. Em nosso roteiro mencionamos quatro fazendas, cada uma com um atrativo diferente inspirado no período do Brasil Império. Um roteiro de dois dias que guia o turista pelos Caminhos do Brasil Imperial.

Algo que temos que ter em mente é que o deslocamento individual entre as fazendas não é fácil. Por isso, ideal seguir de carro e com auxílio de um GPS para percorrer o percurso de forma mais rápida. Existem empresas como a Bomtempo Turismo e o Receptivo Augusto Marques que fazem um roteiro pela região, mas não foi o nosso caso.

Fazendas Históricas do Vale do Café

Saímos do Rio de Janeiro pela manhã, fomos até o município de Piraí, ao qual chegamos em 1h20 sem trânsito em um sábado. A partir daí, seguimos rumo a Valença, onde iniciamos nosso roteiro pelas fazendas históricas do Vale do Café.

Fazenda Vista Alegre – Valença

Nosso roteiro se iniciou pela Fazenda Vista Alegre, que pertenceu ao Visconde de Pimentel. Grande incentivador da cultura e das artes, fez do local parte da cena cultural do Império. No interior da sede, 80% do mobiliário é original da época do apogeu do café, o que faz com que viajemos na história. No auge do ciclo do café, a fazenda recebeu a visita do Conde D’Eu, quando este esteve na região de Valença. Esta visita foi reportada no Jornal do Comércio de 1876, cujo relato também está presente no museu da propriedade.

Fazenda Vista Alegre no Vale do Café
Fazenda Vista Alegre

Desde 1980, a Fazenda Vista Alegre pertence à família Mattos Santos que abriu o espaço para visitações guiadas para grupos contando a história do local, podendo ser seguida de lanche ou almoço. A fazenda, mais especificamente seu jardim e fachada, serviram de cenário para diversas produções televisivas e musicais na década de 90. Entre elas, novelas como “Salomé” e “Pacto de Sangue” em que a fazenda representava a chácara onde morava Celeste, personagem de Sandra Annenberg.

Outra novela que utilizou a fazenda como locação foi “A Viagem”, novela inspirada no espiritismo. Na trama, Alexandre (personagem de Guilherme Fontes) se mata e aparece para sua irmã (personagem de Christiane Torloni) em cima de uma árvore na fazenda da família. A árvore em questão está até hoje no jardim da Fazenda Vista Alegre e recebeu o nome de “Árvore de Alexandre”.

Fazenda Vista Alegre – Estrada Valença-Conservatória, 2.800 – Km 18 – Valença

Fazenda Cachoeira Grande – Vassouras

Em seguida, dando continuidade ao nosso roteiro, chegamos a Vassouras. Mais especificamente no antigo lar do Barão de Vassouras, a Fazenda Cachoeira Grande. A fazenda teve seu verdadeiro apogeu em 1850, com 250 mil cafeeiros, mantidos por 147 escravos e 15 crianças. Vestígios e ruínas do antigo engenho comprovam uma distribuição diferente das demais fazendas do Vale do Paraíba. O engenho fica abaixo do nível da casa grande, construída ao alto. Após seu segundo casamento, o Barão passou a usar a Cachoeira Grande apenas nos fins de semana.

Fazenda Cachoeira Grande em Vassouras
Fazenda Cachoeira Grande

A propriedade foi comprada pela família Caffarelli em 1987, que encontrou a casa grande quase em ruína, após 20 anos de abandono. O processo de revitalização do imóvel se deu por quatro anos, a partir de 1988. A visita guiada pelo interior da casa, permite admirar o mobiliário de acordo com a época dos barões do café. Além disso, a fazenda abriga um Museu de Carros Antigos, com exemplares da coleção particular dos atuais donos da propriedade.

Fazenda Cachoeira Grande – RJ 127, Km 43 – Vassouras

Logo depois, terminamos nosso primeiro dia do roteiro pelas fazendas históricas do Vale do Café em Vassouras. Aproveitamos a cidade como base para pernoite. Não sem antes dar uma volta para conhecer o Centro de Vassouras.

Fazenda Alliança – Barra do Piraí

No dia seguinte, a primeira parada deve ser a Fazenda Alliança, localizada em Barra do Piraí. Em 1861, José Pereira de Faro, sobrinho do Barão do Rio Bonito, comprou de seu tio a Fazenda Boa Esperança e mudou o seu nome para Fazenda Alliança. A fazenda já tinha sua unidade de produção de café construída, com cerca de 150 mil pés e 600 escravos para o trabalho no engenho. A partir desta data, José iniciou obras de modernização do complexo cafeeiro, ampliando o cafezal para mais de 700 mil pés, fazendo melhorias nas edificações e maquinarias. A fazenda mantém ainda hoje o antigo sistema de lavagem de café, terreiro de secagem e a tulha com maquinários da época do engenho.

Fazenda Alliança
Fazenda Alliança

Atualmente, desde 2007, a Fazenda Alliança pertence à Josefina Durini, ítalo-argentina naturalizada brasileira, arquiteta especializada em restauração e sustentabilidade. Ela a transformou na “Fazenda Alliança Agroecológica”, resgatando a sua condição inicial de fazenda produtiva e sustentável com o leite orgânico de búfala, a horta e o pomar orgânicos.

Fazenda Alliança – RJ 145, Km 10 – Barra do Piraí

Fazenda Ponte Alta – Barra do Piraí

Por fim, uma aula de história na Fazenda Ponte Alta. Também localizada em Barra do Piraí, esta fazenda pertenceu ao Barão de Mambucaba. Ela conserva até hoje o antigo engenho de beneficiamento do café, a senzala transformada no Museu do Escravo e a enfermaria dos escravos. Aberta à visitação desde 1992, a fazenda também funciona como pousada e oferece o Sarau Histórico com Chá Imperial a seus visitantes.

Famosa não só pela época do café, a fazenda recebeu o então presidente Getúlio Vargas por várias vezes, que inclusive comemorou seus últimos cinco aniversários lá. Por essa razão, a fazenda criou o Sarau do Gegê, com interpretação de sucessos de cantores e cantoras da época do rádio. Um trabalho bem interessante que a fazenda desenvolve é o de turismo pedagógico para escolas, ensinando na prática um pouco da história do Brasil.

Fazenda Ponte Alta no Vale do Café
Fazenda Ponte Alta

Fazenda Ponte Alta – R. Silas Pereira, 880 – Barra do Piraí

Barra do Piraí ainda possui outras fazendas como a Fazenda São João da Prosperidade e a Fazenda Santa Eufrásia, caso sobre tempo para conhecer alguma delas.

Se você tiver um dia a mais na região, aconselho ir a Rio das Flores e visitar a Fazenda União, um hotel histórico que preserva o ambiente do século XIX, quando viveu o Visconde do Rio Preto. Além disso, a Fazenda do Paraízo, considerada a “joia do Vale”, a mais autêntica da região e muito requisitada para filmagens. Em uma próxima ida à região, certamente queremos conhecer alguma dessas fazendas históricas do Vale do Café. E, dessa forma, aprender ainda mais sobre a história do Brasil nesse período.

Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *