Praça da Liberdade Belo Horizonte
Belo Horizonte

Praça da Liberdade: reduto dos museus em Belo Horizonte

A Praça da Liberdade em Belo Horizonte primeiramente concentrava ao seu redor os prédios do Governo. Posteriormente se tornaram museus, que até hoje atraem diversos turistas e moradores da cidade. Conheça mais sobre a praça e o que fazer nos arredores.

Histórico da Praça da Liberdade

A Praça da Liberdade foi projetada para abrigar o centro administrativo, a partir do momento em que Belo Horizonte foi planejada para ser capital de Minas Gerais. A localização escolhida foi pelo fato de ser uma área plana, na parte mais alta da cidade.

Em 1898 foi inaugurada concentrando ao seu redor as secretarias de Estado e o Palácio da Liberdade, sede do governo. Os jardins foram inspirados nos do Palácio de Versalhes na França. Como da praça, há um coreto, símbolo da praça, bem como uma fonte que se ilumina à noite.

Detalhes da Praça da Liberdade
Detalhes da Praça da Liberdade

Ao longo dos anos, foi recebendo novas construções resultando em uma mistura de estilos arquitetônicos ao redor. Foi o caso da integração do Arquivo Público em 1938 e da Biblioteca Pública Estadual em 1954. Em 1977, o conjunto arquitetônico e paisagístico da Praça da Liberdade foi tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual.

Com a construção de uma nova sede administrativa do governo, mais afastado do centro, a Praça da Liberdade tornou-se centro cultural da cidade. Em 2010, os prédios que anteriormente eram sedes administrativas, se tornaram museus e centros culturais. Contudo, já há um tempo que a praça vinha atraindo o público. Foi local da primeira Feira Hippie, que atualmente se espalha pelas ruas do centro.

Dessa forma, a Praça da Liberdade passou a ser considerada um dos cartões postais de Belo Horizonte. Título que permanece até hoje, já que é um dos locais mais visitados na capital. Por isso, vale a pena incluir no seu roteiro uma visita à praça e aos museus e prédios no seu entorno.

Atrações no entorno da Praça da Liberdade

Os prédios do século 19 começaram a ser convertidos em centros culturais e museus. Atualmente, se encontram no entorno da praça museus, como por exemplo o Memorial Minas Gerais – Vale e o Centro Cultural Banco do Brasil, além do Palácio da Liberdade, antiga sede do governo. Nas noites de quinta-feira, os museus ficam abertos até mais tarde.

Além disso, foi instituído então o Circuito da Liberdade, um circuito cultural composto por 15 instituições no entorno da praça. São museus, centros de cultura e de formação, que mapeiam diferentes aspectos do universo cultural e artístico. Dentre todos os envolvidos no Circuito Liberdade, separei alguns locais que tive a oportunidade de visitar e achei mais interessante.

Palácio da Liberdade

O Palácio da Liberdade foi construído junto com a praça, como sede do governo e casa dos governadores de Minas Gerais. Foi construído no local da casa de Maria Papuda, conhecida dessa forma por ser portadora de bócio. As lendas urbanas dizem que quando a residência de Maria Papuda foi desapropriada, ela amaldiçoou o local. Coincidência ou não, dois governadores morreram no Palácio, posteriormente.

O projeto arquitetônico do Palácio da Liberdade é do arquiteto José de Magalhães. Ele reflete a influência do estilo francês, mesclando com elementos decorativos de outros estilos. Os jardins seguem o estilo inglês e foram projetados por Paul Villon. Posteriormente, foram incluídos novos elementos e atualmente chama atenção o grande corredor de palmeiras.

Palácio da Liberdade BH
Fachada do Palácio da Liberdade

Infelizmente só pudemos ver a parte externa do Palácio, já que as visitas ao interior acontecem apenas aos sábados e domingos. Contudo, no interior do Palácio podem ser vistos candelabros em bronze dourado, piso em parquet, lustres em cristal e painéis alegóricos. Caso você tenha oportunidade, vale fazer a visita que consiste em entrar no cenário político e histórico do estado.

As visitas acontecem de 10h às 16h, aos sábados e domingos, em intervalos de 30 minutos. A entrada é gratuita, mas deve ser agendada pelo site. Mais informações pelo site ou pelo telefone (31) 3224-1919 – Ramal 32 (das 14h às 18h).

Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB BH

O grande prédio amarelo no entorno central da Praça da liberdade abriga hoje o Centro Cultural Banco do Brasil. Ocupando o prédio da Secretaria de Interior e Justiça, o CCBB de Belo Horizonte foi inaugurado em 2013. O prédio original foi inaugurado em 1930 com projeto de Luiz Signorelli.

De estilo eclético, com influências neoclássicas e art deco, o prédio possui seis andares. Contudo, nem todos estão ocupados e abertos ao público. No pátio interno, normalmente acontecem exposições abertas ao público. O CCBB BH ainda abriga duas salas de mostras permanentes; teatro com capacidade para 264 lugares; sala multiuso; e ambientes de convivência, lazer, alimentação e loja para comercialização de produtos culturais. Fizemos uma visita guiada que nos levou ao Salão Nobre e outras salas do CCBB, anteriormente usadas pelos secretários administrativos.

O CCBB de Belo Horizonte funciona de quarta a segunda-feira das 10h às 22h, fechando às terças. A entrada é gratuita, sendo cobrado ingresso apenas para as os teatros. Mais informações: (31) 3431-9400.

Memorial Minas Gerais Vale

Tive a oportunidade de conhecer o Memorial Minas Gerais Vale, um museu dedicado à alma e tradições de Minas. O museu está instalado no antigo prédio da Secretaria da Fazenda, de 1897. É um museu interativo e contemporâneo que conta a história de Minas Gerais e de Belo Horizonte.

Cenários reais e virtuais se misturam para criar experiências e sensações que levem o público em um percurso do século XVIII até os dias atuais. Destaque para a sala dedicada às celebrações religiosas e tradicionais mineiras; sala com maquetes das grandes cidades históricas de Minas; e a sala com peças de artesanato do Vale do Jequitinhonha.

Memorial Minas Gerais Vale
Memorial Minas Gerais Vale

Sem dúvida, um museu imperdível para quem quer conhecer sobre personagens ilustres, comida típica e artesanato de Minas Gerais. O museu ainda abriga um café que também funciona como espaço para exposições.

O museu funciona de terça-feira a sábado das 10h às 17h30, com permanência até as 18h. Às quintas-feiras das 10h às 21h30 e aos domingos das 10h às 15h30, com permanência até às 16h. Mais informações: (31) 3308-4000.

Outros museus

Outros museus igualmente interessantes estão localizados no entorno da Praça da Liberdade, mas eu não tive tempo de visitar. O interessante é que a maioria não cobra entrada, então visita-los é perfeito para ter um dia cultural em Belo Horizonte.

O Centro de Arte Popular Cemig ocupa um prédio residencial de 1920, que posteriormente foi o Hospital São Tarcísio. O centro apresenta quatro salas de exposição permanente, onde o público pode conhecer obras de artistas de várias regiões de Minas Gerais. Funciona das 10h às 19h nas terças quartas e sextas; das 12h às 19h aos sábados e domingos; e de 12h às 21h às quintas-feiras. Mais informações: (31) 3222-3231

Atrás do Memorial Minas Gerais Vale e do Centro de Arte Popular Cemig está a Biblioteca Pública Estadual. Obra de Oscar Niemeyer, a biblioteca foi inaugurada em 1961 e reúne mais de 570 mil exemplares disponíveis. Inclui obras raras e representativas de autores nacionais e estrangeiros. O espaço também conta com teatro para 220 pessoas, sala de cursos e galeria de arte. Funciona de segunda a sexta das 08h às 18h e sábados das 08h às 12h. Mais informações: (31) 3269-1166.

Ao lado do Memorial Minas Gerais Vale, está o Espaço do Conhecimento UFMG, um centro de divulgação da cultura científica e artística. Funciona de terça a domingo das 10h às 17h, com horário estendido até às 21h nos sábados. Mais informações: (31) 3409-8350.

Prédios famosos na Praça da Liberdade

Além dos museus e centros culturais, alguns prédios chamam atenção por sua arquitetura. É o caso do Edifício Niemeyer que chama atenção por seu design em curvas, característica dos projetos de Oscar Niemeyer. O edifício é residencial, e por isso, não permite visitações.

Edifício Niemeyer Belo Horizonte
Fachada do Edifício Niemeyer

A press trip para Belo Horizonte contou com patrocínio da Belotur, Gás Produtora, Mineirão e curadoria do blog Coisas de Mineiro.

6 thoughts on “Praça da Liberdade: reduto dos museus em Belo Horizonte

  1. Estou adorando os seus posts sobre BH, espero que toda essa crise passe logo é que eu possa sair de casa para conhecer esse lugares incríveis da minha cidade.

  2. Tive a felicidade de visitar alguns dos museus da Praça da Liberdade em visitas a amigos que vivem em BH. Os edifícios são mesmo muito bonitos! O meu preferido CCBB, onde vi algumas exposições de diversos artistas do continente africano espetaculares!!!! 🙂

  3. Sou apaixonada por Belo Horizonte e a praça da liberdade é mesmo um lugarzinho imperdível na cidade! Já salvei as dicas para quando for pra lá de novo!

  4. Essa praça é maravilhosa!!! Mas eu sempre dou azar e o Palácio da Liberdade tá sempre fechado pra visitação quando eu vou pra BH… Mas já conheci diversos museus dessa praça – o meu preferido por enquanto é o Memorial Minas Vale.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *