Kyoto

Um passeio por Gion, o bairro das gueixas em Kyoto

Gion é o famoso bairro das gueixas em Kyoto, localizado à margem leste do rio Kamo. Conhecido também por abrigar bons restaurantes e casas noturnas, a área fica mais agitada à noite, quando os estabelecimentos da principal rua do bairro estão abertos.

A história de Gion começou nos tempos feudais, com a origem das primeiras casas de chá do século XVII, presentes até hoje na região. Localizado entre as ruas Sanjo e Gojo – a norte e sul, respectivamente – e entre as ruas Higashioji-dori e Kawabata-dori – a leste e oeste, respectivamente. Chamam a atenção os bueiros com leques fazendo referência às gueixas e nome e direção das ruas do bairro, assim como as placas indicando não tocar nas gueixas.

No final do século XVI, o tradicional teatro kabuki se mudou para Gion, que passou a ser o paraíso do entretenimento japonês. Muitas das casas de chá se transformaram em restaurantes, porém outras se especializaram no entretenimento com gueixas. Diferente das onsen geishas, que também oferecem sexo, as gueixas não são prostitutas como muitos acreditam.

Elas são profissionais femininas do entretenimento, que conquistam o amor e respeito através do conhecimento de artes tradicionais clássicas, algumas se especializam em dança com leques, outras em tocar instrumentos musicais, mas todas envolvidas com alguma forma de arte. As gueixas de Kyoto preferem ser chamadas de geiko e podem ser vistas em espetáculos de dança abertos ao público ou em funções privadas em hospedarias e restaurantes de alto padrão. Um local com apresentação de gueixas é o Gion Corner. Apesar de ser conhecido como o bairro das gueixas, dificilmente elas são vistas pelas ruas de Gion.

A rua Shijo-dori liga a área de Pontocho separada de Gion pelo rio Kamo e possui várias lojas e restaurantes. Na esquina da Shijo-dori com o rio, em frente à estação Gion-Shijo, está o Minamiza Theatre, o primeiro teatro kabuki de Kyoto, fundado em 1610. A estrutura atual foi reconstruída em 1929 e abriga mais de mil assentos, porém as atrações do teatro são irregulares, com exceção do Kaomise Kabuki em dezembro.

Muitos restaurantes no verão abrem suas varandas com vista para o rio Kamo para jantares ao ar livre. Porém o mais comum é ver os japoneses sentados às margens do rio fazendo piqueniques ou apenas tomando banho de sol.

Não muito distante das ruas de Gion, na região de Okazaki, é possível conciliar uma visita ao santuário Heian-Jingu, que foi construído por ocasião do 1100º aniversário da fundação da capital em Kyoto, em 1895. Dedicado aos espíritos do primeiro e último imperadores que reinaram na cidade, o Imperador Kammu (737-806) e o Imperador Komei (1831-1867), o santuário é um dos mais novos da cidade e recebe esse nome porque Heian era o antigo nome de Kyoto.

Um torii gigante marca a entra para o santuário, em torno do qual estão o Museu Municipal de Belas Artes de Kyoto (Kyoto Municipal Museum of Art) e o Museu Nacional de Arte Moderna (National Museum of Modern Art). O espaço do santuário é amplo e aberto ao público, sendo apenas necessário ingresso para conhecer seu jardim, famoso pela ponte coberta em estilo chinês.

Os edifícios principais com pilares vermelhos e telhas verdes, são uma réplica parcial do Palácio Imperial original do Período Heian, construído em uma escala um pouco menor do que o original, evocando a dinastia chinesa Tang. Conciliando esses locais, você conseguirá ter uma noção da movimentação do bairro e das construções históricas.

2 thoughts on “Um passeio por Gion, o bairro das gueixas em Kyoto

  1. Ainda não tive a oportunidade de visitar a Ásia e acho que deve ser muito diferente e por isso mesmo muito interessante. Sempre ouvi falar que Kioto é um lugar tão especial que deveria ser escolhida se tivesse que escolher entre ela e Tóquio. Gostei de saber de Gion,bairro das gueixas.
    Fiquei curiosa em saber porque as gueixas quase não são vistas.
    Adorei o post.

    1. Lilian, uma viagem ao Japão é renovadora no sentido cultural. A gente aprende muito e sai até mais crítico em relação a eles (tanto positivamente e negativamente). Kyoto é fantástica e vale muito a pena passar uns 5 dias lá para conhecer os principais templos. Há shows onde é possível ver as gueixas, mas não tive a oportunidade de ir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *