Cidade Murada de Cartagena
Cartagena

Cidade Murada de Cartagena e suas principais atrações

Patrimônio da Humanidade da Unesco, a cidade murada de Cartagena é um dos destinos coloniais mais preservados da América do Sul. Vielas pavimentadas, grandes igrejas coloniais, praças e casas com varandas cobertas de flores. Todo esse acervo compõe as principais atrações turísticas de Cartagena. Durante o dia, o movimento é menor, enquanto à noite, turistas e moradores se misturam pelas ruas e praças.

Durante o período colonial, Cartagena foi muito importante para o império ultramarino espanhol. Desempenhou papel importante na história e desenvolvimento da Colômbia. Após independência da Espanha, a cidade continuou como importante porto e centro de comércio. O aspecto colonial foi mantido e é hoje atração para os visitantes.

No século 18, Cartagena era basicamente uma fortaleza militar. A construção e reparação dos fortes, muralhas e bastiões foi realizada pelo escravos. Este cenário serviu como ponto de referência que ajudou à população negra a se estabelecer como sujeitos livres. Podemos caminhar por boa parte da muralha da cidade. Inclusive um point badalado, o Café del Mar, está localizado nela. Cada bastião recebe um nome, bem como cada parte da muralha.

Atrações na Cidade Murada de Cartagena

Constituindo a antiga entrada para a cidade murada e originalmente conhecida como Boca del Puente, a Torre del Reloj faz parte da muralha. É atualmente símbolo arquitetônico da cidade. Sua construção começou em 1631 devido à necessidade de uma entrada principal que comunicasse à cidade a Getsemaní. A comunicação era feita através de uma ponte levadiça (Ponte de São Francisco) acima do fosso San Anastasio. Hoje esta entrada é constituída por 3 arcos médios e permanentemente aberta. A torre em estilo republicano abriga um relógio quadrangular, adicionado em 1888.

Passando por essa entrada se chega na Plaza de los Coches que foi usada como mercado de escravos. Hoje em dia abriga casas avarandadas e barracas de doces. No meio da praça, a estátua do fundador da cidade, Pedro de Heredia. Quase junto à Plaza de los Coches, está a Plaza de la Aduana, local que abrigava a Alfândega Real. Este era o órgão encarregado da fiscalização das mercadorias que chegavam ao porto. Atualmente o prédio é a Prefeitura de Cartagena. Esta é a mais antiga praça da cidade murada de Cartagena. Na época colonial era o local onde estavam localizados todos os prédios governamentais e administrativos. Ao centro da praça, uma estátua de Cristóvão Colombo. Em um dos prédios é possível ver a placa que declara Cartagena como Patrimônio Cultural da Humanidade, título concebido em 1984.

Mais adiante, está a praça que leva o nome da Igreja e Convento San Pedro Claver. Ambos foram fundados por jesuítas no século 17, originalmente como San Ignacio de Loyola. Mais tarde o nome foi alterado para homenagear o monge espanhol Pedro Claver, que desempenhou papel importante atendendo os escravos. Foi a primeira pessoa canonizada no Novo Mundo, em 1888 e seus restos mortais estão no claustro onde o monge viveu e morreu. Atualmente, é possível visitar o Museu Santuário San Pedro Claver com exposição de objetos da arte sacra e pré-colombiana. Uma escultura do monge com um escravo está localizada bem próximo ao local.

A igreja, cuja cúpula é vista de diversos pontos da cidade, apresenta fachada em pedra terminada no final do século 18. Na parte interna chama atenção também sua cúpula com a inscrição em homenagem ao monge. Assim como o altar com seus restos mortais e os belos vitrais na parte interna. Em frente à igreja, esculturas feitas por artesãos locais e o Museu de Arte Moderna de Cartagena. O museu tem como objetivo conservar e divulgar as manifestações de arte local. Inclui ainda obras de Alejandro Obregón, um dos mais famosos pintores colombianos, nascido em Cartagena. O ingresso custa COP 8.000 (em abril de 2017).

Outro ponto turístico, que estava em reformas em abril de 2017, é a Basílica Santa Catalina de Alejandría também chamada de Catedral de Cartagena. As obras de construção da catedral se iniciaram em 1575, mas ela não foi finalizada até 1612, quando então destruída por um incêndio. Entre 1912 e 1923, o primeiro arcebispo de Cartagena encomendou a pintura e a cúpula da torre, vista de vários pontos da cidade, inclusive à noite quando se ilumina. Não pudemos entrar, mas ela é formada por três naves separadas por colunas dóricas.

Plaza Bolívar e seus museus

A fachada lateral da Catedral está voltada para a antiga Plaza de lnquisición, atualmente Plaza Bolívar. Em seu centro, uma grande estátua de Simon Bolívar. Quando passávamos pela praça estava acontecendo a apresentação de um grupo com danças típicas colombianas. Esta praça é cercada por diversos prédios coloniais tombados. Abriga inclusive o Museu Histórico de Cartagena, antiga Casa de la Inquisición. Lá é possível observar instrumentos de tortura da Inquisição, além de cerâmicas pré-colombianas e armas, móveis e pinturas da época colonial.

Do outro lado da praça está o Museo del Oro Zenú, uma versão menor do Museu do Ouro de Bogotá. Ele apresenta uma coleção de ouro e cerâmica do povo Zenú que habitava a região do norte da Colômbia, antes da conquista espanhola. Algo diferente que me chamou a atenção está no chão da passarela embaixo das varandas de uma casa colonial onde está a cafeteria Juan Valdéz. Na passarela está exposto o Portal de las Reinas. O painel exibe fotos das vencedoras do concurso Miss Colômbia ao longo dos anos. Além disso, dá destaque para duas misses: Luz Marina Zuluaga e Paulina Vega Dieppa, vencedoras do concurso Miss Universo nos anos de 1958 e 2014, respectivamente.

Cidade Murada de Cartagena

Outra praça famosa em Cartagena, repleta de bares, restaurantes e onde o burburinho acontece à noite é a Plaza de Santo Domingo. Ali se encontra a Igreja de Santo Domingo, a mais antiga da cidade, construída em 1539 na Plaza de los Coches e após ser destruída por uma incêndio, foi reconstruída em 1552, no local atual. No altar barroco, uma imagem de Cristo entalhada em madeira, além de pequenos altares em mármore abrigando outros santos. O que chama mais atenção no interior da igreja é o piso em frente ao altar principal, pavimentado com lápides do século 19. Na praça, uma escultura de Botero (La gorda de Botero) é disputada pelos turistas que tentam registrar seu melhor ângulo.

Mais afastado do centro está Las Bóvedas, uma construção em estilo renascentista que abrigava 24 calabouços construídos entre 1792 e 1796, destinados a propósitos militares e depois transformados em cadeia. Atualmente abrigam lojas de souvenires. Os grandes arcos simétricos são obra de Antonio Arévalo.

Na Plaza de Santa Teresa, está localizado o Museu Naval do Caribe inaugurado em 1986 no local onde funcionava o Hospital San Juan de Dios, que não cheguei a visitar. Inclusive, por nossa experiência, recomendo se hospedar dentro da cidade murada de Cartagena. Além de visitar as principais atrações a pé durante o dia, pode-se caminhar pela cidade à noite curtindo os restaurantes e bares nas vielas da cidade.

Confira também as atrações turísticas fora da cidade murada de Cartagena.

Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *