Zagreb

O que conhecer na Cidade Baixa em Zagreb

A Cidade Baixa de Zagreb ou Donji Grad é considerada a parte moderna da cidade e onde se concentra a maior parte dos museus da capital croata. Infelizmente estivemos em Zagreb em dias que os museus não abriam, então não pudemos conhecer o acervo deles, mas destacamos aqui os principais locais onde ir na região.

A área mais moderna da Cidade Baixa é também conhecida como “ferradura verde” por causa de seu formato em “U”. Esta área se desenvolveu após 1830 em torno de uma série de parques e abriga a maior parte dos museus da cidade.

Começamos nosso roteiro pela Cidade Baixa no parque Zrinjevac (1) onde fica a praça Nikola Subic Zrinski, em homenagem ao governante do tempo imperial. Zrinjevac é uma parte favorita da cidade para os turistas caminharem e descansarem. Por causa dos prédios ao redor, hoje este parque é como uma entrada à história da Croácia e da arte.

No lado norte você encontrará o Supremo Tribunal da República da Croácia, o Museu Arqueológico de Zagreb no lado oeste, a Academia Croata de Ciências e Artes no lado sul, e o Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Integração Europeia e a Corte de Zagreb, no lado leste.

São prédios lindos, mas o que mais me chamou a atenção foi a Coluna de Meteorologia, que fica na parte mais ao norte do parque. Considerada uma das mais antigas, a coluna foi uma doação do médico do exército Adolf Holzer em 1884. Feita de mármore da Ístria, a Coluna de Meteorologia ainda funciona hoje e as pessoas muitas vezes param para verificar a temperatura e umidade do ar, porém os dados não são considerados como oficiais, já que o sistema de medida da coluna não se adequa aos padrões adotados pela atual Organização Mundial de Meteorologia.

Na parte central do parque fica o Pavilhão de Música doado em 1890 por Eduard Prister, um comerciante rico. Ele foi colocado em 6 de fevereiro de 1891, no local onde era para estar um monumento dedicado a Nikola Subic Zrinski. Até o final do século XIX, concertos regulares foram realizados no coreto. Em memória aos tempos passados, concertos são realizados durante o verão. Algumas fontes de água, incluindo uma projetada por Hermann Bolle adornam o parque.

Ainda na região a praça Strossmayerov (2), em homenagem a Josip Juraj Strossmayer, bispo católico, político e benfeitor croata que ajudou na difusão da cultura e da arte na Croácia. Uma estátua em sua homenagem está à frente do prédio da Biblioteca da Academia de Artes da Croácia.

Do outro lado do “U” está o Teatro Nacional Croata (3) cujo projeto é do engenheiro Milan Lenuci. Concluído em 1895, o edifício é uma mistura dos estilos Neobarroco e Rococó, pintado em amarelo, com dois telhados frontais com domos. Como era segunda-feira, não conseguimos entrar, mas em seu interior estão diversas obras de artistas croatas e vienenses. Na frente, a escultura “O poço da vida” do artista croata mais famoso, Ivan Mestrovic.

Próximo dali o Museu Mimara (4) que recebe o nome do empresário Ante Topic Mimara, que em 1972 doou suas amplas coleções de arte à cidade de Zagreb, que hoje estão expostas no museu. O museu também não abre às segundas, então não pudemos entrar, mas as obras estão dispostas em ordem cronológica, desde a era pré-histórica até a atualidade.

Não muito longe está uma estátua de São Jorge lutando com o dragão, que segue os padrões de todas as outras no mundo, isso porque na Cidade Alta existe uma outra estátua do santo retratado após a vitória sobre o dragão.

Outro museu que merece destaque na região é o Museu Etnográfico, considerado o mais importante do gênero na Croácia. Fundado em 1919, possui em sua fachada estátuas do escultor Rudolf Valdec e no seu interior a cultura croata retratada por mostras de joias, instrumentos musicais, bordados, mobiliário e outras peças.

Para chegar à praça Tomislav (5), passamos pelo Jardim Botânico e por um dos hotéis mais famosos de Zagreb, o Hotel Esplanade. Na praça, uma estátua de Kralj Tomislav, monarca do século X, que foi o primeiro rei da Croácia. A estátua fica no centro entre a Estação Central de Zagreb (Glavni Kolodvor) (6), de onde saem trens para várias cidades da Croácia e da Europa, e o Pavilhão de Arte (7).

Este prédio, também pintado em amarelo, foi montado em 1898 por Ferdinand Fellner e Hermann Helmer para representar a Croácia na exposição internacional de Budapeste e desde então tem sido usado para diversas exposições de arte. Em frente ao pavilhão uma estátua em homenagem ao pintor Andrija Medulic, também feita pelo escultor Ivan Mestrovic.

Como mencionei algumas vezes no texto, infelizmente não conseguimos entrar em nenhum dos museus pois os mesmos só abrem de terça a sábado e domingos até 13h. Por isso, sugiro visitar a Cidade Baixa em algum desses dias, para que possa conhecer as exposições e obras de arte que estão no interior desses prédios todos. Depois me contem o que acharam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *