Bogotá

Tour pelo interior da Catedral de Sal em Zipaquirá

A 180 metros abaixo da terra, em uma mina de sal, encontra-se a Catedral de sal em Zipaquirá, cidade a pouco mais de 50km de Bogotá. A bela catedral é única no seu gênero na América e apresenta aos visitantes um verdadeiro museu, mais que um templo religioso. Conhecer a catedral de sal é um passeio bem comum que pode ser feito em um bate-volta a partir de Bogotá, como fizemos quando estivemos na cidade em abril de 2017.

Em 1816, se iniciaram as primeiras escavações para busca de grãos de sal, completadas 60 anos depois. Em 1932, Luis Ángel Arango teve a ideia de construir uma capela subterrânea tomado pela devoção que os trabalhadores demonstravam antes de iniciar seu dia de trabalho. A antiga catedral levou três anos para ser construída, sendo inaugurada em 15 de agosto de 1953.

A catedral atual foi iniciada em 1991, 60 metros abaixo da antiga, com projeto arquitetônico de Roswell Garavito Pérola, vencedor do concurso para escolha do melhor projeto. Neste projeto estavam incluídas mudanças estruturais na entrada do túnel, a cúpula e a sacristia. Inaugurada em dezembro de 1995, a novacatedral apresenta três seções principais: o Caminho da Cruz, a Cúpula e a Nave.

Para chegar à Catedral de sal de Zipaquirá, contratamos o serviço de motorista do Sr. Luís, indicado por nossa amiga Tati, que tinha visitado a catedral um mês antes de nós. Muito prudente no trânsito e bem falante, Luís nos pegou em nosso hotel, Habitel, e seguimos em direção à cidade, em um percurso que levou em torno de 80 minutos. Chegando lá, ele nos deixou na entrada do parque e marcamos um horário para ele retornar ao ponto de encontro. Esse tempo deve ser marcado em torno de duas horas, que é o gasto no percurso.

Na área de entrada, está uma escultura denominada “Manos de Esperanza” cedida pelo Rotary Club de Zipaquirá, assim com uma enorme escultura representando um minerador em seu trabalho, na chamada Plaza del Minero. Por ali também está a bilheteria para compra do ingresso para a visita guiada, que custa COP 50.000. A catedral foi declarada em março de 2007 como a 1ª Maravilha da Colômbia.

A visita começa por um túnel em declive feito em escavação, podendo observar as paredes em sal e no teto um painel em LED que se alterna em desenhos das bandeiras de todos os países do mundo.

A primeira parte da visita é chamada Via Crucis (ou Caminho da Cruz) em um percurso de 386 metros de comprimento, representando o trajeto seguido por Jesus carregando a cruz, que vai do Pretório até o Calvário. Em cada uma das 14 estações que simbolizam as paradas de Jesus pelo percurso, está uma enorme cruz esculpida ou entalhada nas paredes da mina, com iluminação especial, fazendo um contraste bem interessante com o ambiente escuro do túnel. Em algumas estações é possível interagir com as cruzes. Ao final, chegamos a um entalhe nas rochas de sal que simboliza a imagem do rosto de Jesus, como se fosse o Santo Sudário.

Na etapa seguinte da visita, chegamos à grande cúpula que possui 11 metros de altura e 8 metros de diâmetro, talhada em sal, simbolizando a união entre a terra e o céu. Prosseguindo, chegamos a uma área de onde podemos ter uma visão de cima da catedral. Dali já podemos avistar uma coleção de arte rica, especialmente esculturas de anjos e santos feitos de sal e de mármore em uma atmosfera com um grande significado religioso.

Descemos para a catedral em si, pelo Nártex, caminho de paralelepípedos entalhados no sal, dando uma sensação de labirinto, que de acordo com a história bíblica, ao passar por este caminho o visitante realiza um ato de penitência. No alto, uma escultura do Arcanjo São Miguel, que achei uma das composições mais bonitas. O centro da Catedral de Sal é constituído por três câmaras: Nave do Nascimento, Nave da Vida e Nave da Morte e Ressurreição.

A Nave do Nascimento conta com uma parede de 16 metros de altura, 10 metros de largura e 73 metros de comprimento, composta de batistério (espaço circular) localizado em torno de uma fonte de sal cristalino em forma de cascata, simbolizando o rio Jordão, onde Jesus Cristo foi batizado. No mesmo local, um presépio esculpido em mármore e sal.

A Nave Central – ou Nave da Vida – foi construída a 180 metros abaixo da montanha de sal, suportada por quatro enormes pilares que simbolizam os evangelistas Mateus, Marcos, Lucas e João, também considerados pilares da fé cristã. Nesta área está a maior cruz embaixo da terra do mundo, com 16 metros de altura, 10 metros de largura e 80 cm de profundidade. A cruz em alto relevo é na verdade fruto de uma ilusão de ótica, já que ela foi entalhada na rocha, em baixo relevo. Além disso, ao centro no chão um grande medalhão, simbolizando o nascimento de Cristo e sua conexão com a vida terrena, construído em homenagem a pintura de Michelangelo na Capela Sistina.

A Nave da Morte e da Ressurreição é composta por uma escultura de Pietá, que representa a Deposição de Cristo simbolizando o fim da sua vida terrena. Na mesma área a capela Santíssimo Sacramento e as cavernas de ressurreição.

Nossa visita termina no Espelho d’Água que recria o lugar em que o sal que foi extraído da mina e dissolvido em água a uma concentração que simula um espelho perfeito, refletindo as paredes e o teto da rocha de sal gerando um incrível efeito de profundidade, ao receber luz. O mais interessante é que o local com água possui apenas 10 cm de profundidade. Ainda pudemos ver um painel espetacular todo feito a partir de entalhe na rocha de sal. Dali ainda é possível visitar o espetáculo de luzes e fazer compras na inúmeras lojinhas de esculturas em sal e esmeralda, mas não fomos porque já estávamos atrasados para voltar ao ponto de encontro com Luís.

Além de sua importância como herança cultural, religiosa e ambiental, a Catedral de Sal de Zipaquirá é considerada uma das mais notáveis realizações arquitetônicas e artísticas da arquitetura colombiana e vale muito a visita. Quem tiver tempo e interesse, pode conciliar com uma visita ao Museo de la Salmuera, em um percurso de 25 minutos que conta a história da mina de sal, cujo ingresso custa COP 3.000.

Leo Vidal
Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

2 thoughts on “Tour pelo interior da Catedral de Sal em Zipaquirá

  1. Quanta história e curiosidade nesse tour pela catedral de sal, fiquei triste de não ter conhecido. Achei um passeio que é imperdível e todos deveriam colocar no roteiro, com toda certeza. Amei seu post, obrigada por compartilhar a experiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *