Brasília

Roteiro de turismo cívico por Brasília

O turismo cívico é um dos grandes atrativos na cidade de Brasília. Os prédios onde os políticos fazem e votam leis, os ministérios e até mesmo a residência da presidente da República estão localizados na capital do país e muitos são abertos à visitação. Listamos aqui os principais e mais procurados pelos turistas.

Congresso Nacional

Como conhecer

Mais procurado para quem quer fazer turismo cívico, Congresso Nacional está aberto ao público diariamente de 9h às 17h30. As visitas devem ser agendadas para grupos com mais de 15 pessoas ou nos dias de 3ª e 4ª feira mesmo para visitantes individuais. O agendamento deve ser feito aqui. Durante os dias úteis não é permitida entrada usando bermudas, shorts, minissaias, chinelos e camisas sem manga. No entanto, são vendidas calças descartáveis na lojinha da Câmara para aqueles que não estão com traje adequado.

turismo cívico

A título de curiosidade, o Congresso Nacional é o responsável pela elaboração e aprovação de leis e fiscalização do Estado. O prédio foi projetado por Oscar Niemeyer formado por duas torres de escritórios, uma cúpula côncava à esquerda onde fica o Senado Federal e a cúpula convexa à direita onde fica a Câmara dos Deputados.

Tour pelo Congresso Nacional, símbolo do Turismo Cívico

Quando estive em Brasília em novembro de 2014, fiz o tour pelo Congresso. Como era sexta-feira não precisei agendar, apenas me identifiquei na portaria dizendo que queria fazer o tour. Eles pedem identidade para confeccionar um adesivo de identificação. Em seguida você passa por detector de metais e se dirige ao Salão Negro (nome dado pela cor do piso) de onde começam os tours. A saída de grupos acontece de 30 em 30 minutos.

Saindo do Salão Negro, seguimos para o Salão Verde (cujo tapete que cobre o piso é verde) onde começa efetivamente nosso tour guiado. O Salão é o mais movimentado do Congresso e é onde normalmente a imprensa fica para entrevistar os políticos. A guia nos leva para conhecer uma sala onde está uma galeria de fotos dos Presidentes da Câmara dos Deputados, do Império à República, bem como uma maquete do plano piloto de Brasília e explica um pouco mais sobre os principais prédios do Governo que estão espalhados pela cidade.

Em seguida, fomos para o salão principal onde se encontra um jardim interno e é possível ver esculturas famosas como o “Fragmento de Anjo” de Alfredo Ceschiatti; o mural de azulejos “Ventania” de Athos Bulcão; a escultura “Pássaro“; e o famoso quadro de Di Cavalcanti, “Candango“, pintado pelo artista após um pedido de Oscar Niemeyer.

Ainda no Salão Verde estão em exposição os presentes protocolares do Museu da Câmara, que são presentes oferecidos por Chefes de Estado, representações diplomáticas e demais pessoas importantes de todo o mundo.

Plenários

Dali voltamos ao Salão Negro para ter acesso às galerias públicas do Plenário Ulysses Guimarães, na Câmara dos Deputados e ao Plenário do Senado Federal. Neste momento é preciso deixar todos os pertences eletrônicos em armários na entrada do plenário. Por esse motivo não tirei fotos do local. Mas ambos Plenários são iguaizinhos como vemos naqueles barracos de políticos na televisão. Enquanto visitamos, pudemos assistir a algumas votações e discursos de políticos que estavam lá no momento. Bem interessante. Logo após a visita aos Plenários, o tour é finalizado.

Palácio do Planalto

Outro ponto de interesse no turismo cívico é o Palácio do Planalto. É a sede do Poder Executivo do Brasil, onde está o Gabinete Presidencial. Está situado na Praça dos Três Poderes, atrás do Congresso Nacional. Inaugurado em 1960, também foi projetado por Oscar Niemeyer e marca a transferência da capital do país para Brasília. Sua fachada exibe uma rampa que dá acesso ao Salão Nobre e o Parlatório de onde o presidente pode falar ao povo concentrado na praça – o que ocorreu poucas vezes na história.

É aberto à visitação aos domingos de 9h30 às 14h e as visitas levam em torno de 20 minutos. Assim como em outros países, existe a troca da guarda no Palácio do Planalto. Os guardas que receberam o nome de Dragões da Independência apresentam sua troca de guarda a cada duas horas, sendo a primeira às 8h e a última às 18h.

Praça dos Três Poderes

Situada atrás do Congresso Nacional, a praça foi idealizada por Lúcio Costa e projetada por Oscar Niemeyer e recebeu esse nome por ser um espaço que integra os três poderes: Executivo (Palácio do Planalto), Judiciário (Supremo Tribunal Federal) e Legislativo (Congresso Nacional). Na Praça está um dos grandes símbolos de Brasília, a escultura “Os Guerreiros”, também conhecida como “Os Candangos” de Bruno Giorgi.

A Praça ainda comporta o Panteão da Pátria, hoje intitulado Panteão Tancredo Neves para abrigar restos mortais de ilustres figuras brasileiras. Além disso, o Museu Histórico de Brasília com uma escultura da cabeça de Juscelino Kubitschek em sua fachada; a Pira da Pátria; um mastro com a bandeira do Brasil que leva a fama de ser a maior bandeira hasteada no mundo com 286 m² (mas que não abriu por nada no dia para eu tirar uma foto linda para colocar aqui). A bandeira é trocada todo primeiro domingo de cada mês em uma cerimônia solene.

Supremo Tribunal Federal (STF)

O prédio também projetado por Oscar Niemeyer é apoiado por pilares que o afastam do solo, que segundo Niemeyer conferem leveza ao prédio. À frente do prédio a famosa escultura de Alfredo Ceschiatti, “A Justiça“, que possui uma venda cobrindo os olhos, simbolizando a justiça cega.

turismo cívico por Brasília

O prédio está aberto à visitação de 2ª a 6ª feira de 10h às 11h; 2ª, 3ª e 6ª feira, dias em que a Corte não está reunida, há visitações vespertinas de 14h às 17h; fins de semana das 10h às 15h30. A visitação dura em torno de 50 minutos. Contudo, para os dias de semana é necessário agendamento para grupos com mais de 10 pessoas pelo e-mail visitacao@stf.jus.br.

Palácio da Alvorada

Já mais distante da Praça dos Três Poderes, está a residência oficial do Presidente do Brasil, o Palácio da Alvorada. O prédio foi o primeiro inaugurado na Capital Federal e está localizado às margens do Lago Paranoá, em um ambiente mais calmo. Revestido em mármore e vedado por cortinas de vidro, o acesso ao prédio é restrito, sendo necessário retirada de senha às 13h de 4ª feira para a visita que ocorre de 15h às 17h. O número é limitado e a visitação é suspensa em caso de chuva.

turismo cívico por Brasília

Quando fui a Brasília não era 4ª feira então o mais próximo que me aproximei do prédio foi separado por um imenso gramado verde. Ao menos na guarita de entrada pude ver de perto um Dragão da Independência. Existem outros prédios que fazem parte do turismo cívico de Brasília, os quais eu não visitei, mas para a lista completa basta acessar esse site. Na esplanada dos Ministérios, por exemplo, vale a pena fazer a visita ao Palácio do Itamaraty.

Além do turismo cívico, Brasília cativa também os amantes da arquitetura. Inclusive, a 308 Sul é considerada a Quadra Modelo de Brasília, como conta o blog Viajante Móvel.

7 thoughts on “Roteiro de turismo cívico por Brasília

  1. Muito legal esse roteiro. Brasília realmente encanta pelos seus prédios representativos de nossa República. É um verdadeiro museu a céu aberto.

  2. a minha amiga fez esse tour e gostou bastante, falou que ficou impressionada com a estrutura que é gigante! vc deixou tudo nos armarios, sera q foi pq tava tendo alguma reuniao ou nao ::

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *