pandemia de coronavírus
NOTÍCIAS

Países se fecham para o turismo por conta da pandemia de coronavírus

Com o avanço da pandemia de coronavírus, diversos países nos cinco continentes se fecham para o turismo. A maioria das medidas envolve fechamento de fronteiras e de portos para ancoramento de navios. Confira a situação nos principais países, até o momento, em todos os continentes.

Conheça todas as informações sobre a pandemia de coronavírus

Ásia

No continente onde surgiu o coronavírus COVID-19, alguns países já anunciaram o fechamento de fronteiras. Por ter sido o epicentro da pandemia de coronavírus, essas medidas já foram tomadas há mais tempo e perduram até hoje.

China – A partir de 16 de março, todas as pessoas que chegam a Pequim, incluindo as que não apresentam sintomas de coronavírus, devem realizar 14 dias de observação centralizada (quarentena) em locais designados pelas autoridades locais. Já Xangai e Guangdong exigem 14 dias de quarentena obrigatória para pessoas que visitaram ou transitaram pela França, Alemanha, Espanha, Estados Unidos, Itália, Irã, Japão ou República da Coréia nos 14 dias anteriores antes de chegar. Nas demais cidades, verificações de temperatura são realizadas em centros de transporte, hotéis, prédios comerciais, incluindo restaurantes e outros locais.

Coreia do Sul – Apesar da redução de voos entre o país e demais destinos, os viajantes que chegam à Coreia do Sul estarão sujeitos a uma triagem adicional para o COVID-19 na chegada aos portos e aeroportos do país. Viagem para as cidades de Daegu, Cheongdo e Gyeongsan continuam sendo desaconselhadas, uma vez que apresentam ainda muitos casos da doença.

Japão – Como medida preventiva contra a disseminação do coronavírus, o Governo do Japão veta a entrada dos estrangeiros que visitaram a China, Irã, Coreia do Sul, Itália e San Marino.

Singapura e Taiwan – Ambos restringiram a entrada de passageiros vindos de quase todo o continente asiático.

Vietnã – Os viajantes dos 26 países Schengen, Reino Unido e Irlanda do Norte, ou aqueles que visitaram ou transitaram por esses países nos últimos 14 dias, não receberão vistos ou permissão para entrar no país. Isso também se aplica àqueles que atualmente possuem vistos ou cartas de visto. Além disso, o país suspendeu os vistos na chegada para todos os estrangeiros. Isso se aplica a todos os novos candidatos, exceto aqueles que viajam para fins diplomáticos ou oficiais.

Oriente Médio

Emirados Árabes Unidos – A partir de 17 de março, estará suspensa temporariamente a emissão de todos os vistos, com exceção dos portadores de passaporte diplomático. Algumas rotas por via aérea, terrestre e marítima foram suspensas. Por isso, é necessário consultar seu provedor de viagens antes de viajar. Visitantes e residentes que retornam podem ser testados na chegada e precisam se auto-isolar.

Irã – Um dos países com grande mortalidade por conta do coronavírus, o Irã assumiu medidas adicionais de triagem adotadas pelas autoridades locais. Algumas companhias aéreas não estão mais voando dentro e fora do Irã e muitos países vizinhos fecharam suas fronteiras ou começaram a monitorar os viajantes do Irã. Pode haver outras medidas introduzidas a curto prazo.

Israel – Desde 12 de março, as chegadas a Israel estão sujeitas a medidas de quarentena por 14 dias por motivos de saúde pública. Os visitantes que não conseguirem demonstrar que podem tomar as medidas de quarentena serão impedidos de entrar em Israel. Ademais, os visitantes sujeitos a regulamentos de quarentena em casa devem poder fazê-lo em residências particulares, não em hotéis.

Qatar – A partir da noite de 18 de março, nenhum passageiro internacional – incluindo aqueles com autorização de residência – poderá entrar no Qatar. Essa medida tem valor por um período de pelo menos 14 dias, que pode estar sujeito a prorrogações adicionais. Entretanto, os passageiros em trânsito que estiverem em outro destino ainda poderão fazer a transferência pelo Qatar, e a maioria dos voos continua em andamento.

África

O continente africano ainda apresenta países que não registraram casos de coronavírus. Entretanto, medidas de contenção afetam o turismo nesses países e outros onde já foram relatados casos.

África do Sul – O país anunciou a proibição do ingresso de pessoas oriundas de países considerados de alto risco a partir de 18 de março. Na lista estão Itália, Irã, Coreia do Sul, Espanha, Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido e China. A África do Sul também cancelou desde domingo o visto para visitantes desses países.

Djibuti – Apesar de não ter casos registrados, o país suspendeu todos os voos internacionais.

Gana – A partir do dia 17 de março, o país proíbe a entrada de qualquer pessoa que esteve em países com mais de 200 casos da doença nos últimos 14 dias. Esta medida inclui o Brasil.

Namíbia – O governo suspendeu as viagens de entrada e saída de e para Qatar, Etiópia e Alemanha por um período de 30 dias.

Quênia – Passageiros que chegaram ao país nos últimos 14 dias terão que entrar em quarentena. Esta medida inclui cidadãos quenianos e estrangeiros com permissão de residência, que devem entrar em quarentena voluntária. A proibição de novos turistas permanecerá válida pelo menos por 30 dias. 

Tanzânia – O país ainda não exerceu nenhuma medida de fechamento de fronteiras. Contudo, adotou medidas de triagem reforçadas nos aeroportos para todos os passageiros que chegam aos três aeroportos internacionais da Tanzânia (Dar es Salaam, Kilimanjaro e Zanzibar). Viajantes apresentando sintomas de coronavírus serão isolados no aeroporto e posteriormente poderão ser colocados em quarentena em um hospital do governo.

Europa

A União Europeia (UE) fechou a partir de 17 de março, todas as fronteiras, incluindo da Área Schengen. Está proibida a entrada de turistas no espaço por 30 dias. A medida inédita é uma resposta à pandemia de coronavírus que vem assolando o mundo. O chamado Espaço Schengen é formado por 22 dos 27 países da UE, além da Islândia, Noruega, Suíça e Liechtenstein.

Cidadãos de países-membros da Associação Europeia de Livre Comércio (Efta, na sigla em inglês) – Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça – e do Reino Unido estarão isentos da proibição.

A maior parte dos países segue em quarentena, impedindo o acesso às ruas, apenas para o necessário. As atrações turísticas estão todas fechadas.

Dados anteriores

Alemanha – A partir do dia 16 de março, o país fechará as fronteiras com os vizinhos França, Áustria, Suíça, Luxemburgo e Dinamarca. Viajantes sem motivos plausíveis para viajar não terão permissão para entrar no país.

Áustria – A partir de 16 de março, não haverá conexões aéreas diretas da Áustria para Espanha, França e Suíça. Todos os voos diretos e trens com a Itália também são afetados. As estâncias de esqui foram fechadas em 15 de março. Atualmente, existem restrições na fronteira com a Itália. Qualquer pessoa que deseje atravessar a fronteira é obrigada a possuir um atestado médico.

Dinamarca – O país fechou temporariamente a fronteira no dia 14 de março, para estrangeiros que não tenham um objetivo reconhecido de entrar na Dinamarca. Todos os cidadãos dinamarqueses e residentes temporários ou permanentes poderão continuar a atravessar a fronteira.

Eslováquia – Desde 12 de março, somente cidadãos eslovacos e estrangeiros com residência permanente ou temporária na Eslováquia poderão entrar no país. Os aeroportos internacionais em Bratislava, Kosice e Poprad estão fechados. Viajantes que retornarem para a Eslováquia do exterior serão instruídos a se auto-isolar em casa por 14 dias.

Espanha – Viagens, mesmo dentro do país, só estão autorizadas em casos de emergência. As fronteiras estão fechadas para turistas.

França – O país determinou fechamento das fronteiras, a partir do dia 17 de março, de acordo com as diretrizes da União Europeia.

Holanda – Bares, restaurantes, museus permanece fechados e eventos públicos com mais de 100 pessoas foram cancelados. Contudo, o país ainda não fechou suas fronteiras.

Polônia – Desde 14 de março, o país fechou todas as fronteiras e foi introduzido controle rigoroso das mesmas. A medida foi tomada por um período de 10 dias, primeiramente. O transporte ferroviário e aéreo internacional também foi suspenso por 14 dias, a partir da mesma data (14/03). Essas medidas podem ser estendidas.

Portugal – O país ainda não fechou suas fronteiras, mas suspendeu todos os voos de e para todas as regiões da Itália até 24 de março. No continente, os passageiros de navios de cruzeiro só podem desembarcar se forem nacionais ou residentes portugueses. Já em Açores, Porto Santo e Ilha da Madeira, os portos estão fechados para que navios possam atracar.

Reino Unido – Ainda não há bloqueio de fronteiras, mas voos de determinados países já foram reduzidos e cancelados.

República Tcheca – Os turistas estrangeiros não poderão entrar na República Tcheca, mas poderão voltar para casa se já estiverem no país.

Noruega – Todos os visitantes não residentes estão proibidos de entrar no país. Exceção apenas para quem chega da Finlândia e Suécia, até dia 16 de março.

Caso da Itália

A Itália apresenta a maior taxa de mortalidade na Europa implementou a quarentena em todo o seu território. A circulação no país só é permitida por meio da apresentação de um atestado por motivos de trabalho ou saúde. A maioria das companhias aéreas deixou de operar voos para o país e a tendência é que os aeroportos do país fechem nos próximos dias. O Roma Campino já fechou para voos comerciais em 13 de março e o terminal 1 do aeroporto de Roma Fiumicino será fechado em 17 de março.

Américas

Separamos os países da América entre América do Sul, Central e Norte. Muitos já estão emitindo medidas contra a pandemia de coronavírus.

América do Sul

Argentina – No dia 15 de março, o país anunciou o fechamento de suas fronteiras por 15 dias. Já haviam sido suspensos por 30 dias voos internacionais do Reino Unido, assim como de toda a Europa, EUA, China, Japão, Coréia do Sul e Irã.

Bolívia – Em 14 de março, o governo boliviano proibiu a entrada de estrangeiros vindos da China, Coréia do Sul, Itália e Espanha.

Chile – Nos aeroportos, está sendo feita medição da temperatura e exigido o preenchimento de um formulário em viagens anteriores nos últimos 30 dias. Desde 15 de março, as autoridades chilenas fecharam todos os portos para navios de cruzeiro.

Colômbia – A Colômbia fechou sua fronteira com a Venezuela. A partir do dia 16 de março, o país restringirá a entrada para todos os estrangeiros que estiveram na Europa ou na Ásia nos últimos 14 dias. Cidadãos colombianos e estrangeiros residentes na Colômbia que estiveram na Europa ou na Ásia terão permissão para entrar, mas serão obrigados a se auto-isolar por 14 dias.

Equador – O governo do Equador anunciou que as chegadas internacionais por via aérea serão suspensas e os estrangeiros não serão admitidos por via aérea, terrestre ou marítima, a partir de 15 de março. A medidas incluem o arquipélago de Galápagos.

Paraguai – O Paraguai ainda não anunciou fechamento de fronteiras, mas os viajantes estão sendo submetidos a testes de temperatura no momento de chegada ao país. Cidadãos que atravessam a fronteira passam por triagem se apresentarem temperatura corporal superior a 37 graus. Essas medidas implementadas permanecem até dia 25 de março.

Peru – Em 15 de março, o Peru anunciou um estado nacional de emergência. Como parte disso, as fronteiras estão fechadas por 15 dias a partir de 16 de março. A liberdade de circulação será restringida pelo mesmo período.

Uruguai – O país foi o último a registrar casos na América do Sul. Por isso, ainda exibe medidas leves contra a pandemia de coronavírus. A exigência é de que todos os passageiros que chegam da China, Coreia do Sul, Itália, Japão, Cingapura, Irã, França e Alemanha, ou aqueles que tiveram contato com uma pessoa infectada com COVID-19 se auto-isolem por um período de 14 dias. Atualmente, os navios de cruzeiro podem atracar em Montevidéu apenas para reabastecimentos e reabastecimento. Os passageiros e a tripulação não podem desembarcar e as empresas de navios de cruzeiro estão trabalhando para redirecionar os navios.

E o Brasil?

Até o momento, o Brasil não fechou suas fronteiras. Apenas determinou o isolamento, de preferência em domicílio, para tentar minimizar a disseminação do vírus.

América Central

Panamá – Principal parada de voos ligando as Américas do Sul e Norte, o Panamá proibiu a entrada no país de estrangeiros e não residentes a partir do dia 16 de março. Pessoas com nacionalidade panamenha e residência permanente no país podem entrar normalmente no território nacional, mas devem cumprir na chegada o isolamento preventivo obrigatório por 14 dias. É importante observar que a medida não restringe os passageiros em trânsito pelo Aeroporto Internacional de Tocumen, na Cidade do Panamá. Portanto, as conexões através do Hub das Américas da Copa Airlines continuam sem interrupção.

América do Norte

Canadá – O país fechará suas fronteiras para estrangeiros e para aqueles que não são residentes permanentes no Canadá, exceto para cidadãos americanos, por enquanto. Barcos e navios de cruzeiro com mais de 500 pessoas serão proibidos de atracar nos portos canadenses até julho. Todos os voos internacionais irão aterrissar em quatro aeroportos: Montreal, Toronto, Calgary e Vancouver. De qualquer forma, todas as pessoas que chegarem ao país deverão se isolar por 14 dias.

Estados Unidos – Diante da pandemia de coronavírus, a partir de 17 de março, o governo dos EUA não permitirá a entrada de cidadãos de fora dos EUA, incluindo cidadãos britânicos, que visitaram (ou residem em) o Reino Unido ou a Área Schengen 14 dias ou menos antes da viagem. O governo dos EUA indicou que essa é uma restrição temporária que dura 30 dias. Não foi emitida medida em relação ao Brasil, mas os voos da American Airlines entre Brasil e Estados Unidos foram todos cancelados. Os consulados americanos no Brasil não estão emitindo visto por tempo indeterminado.

Oceania

Os principais países da Oceania estão exigindo um período de isolamento de 14 dias para os viajantes. Essa ainda é a única forma de prevenção à pandemia de coronavírus.

Austrália – A partir de 15 de março, todos os passageiros que chegam à Austrália, proveniente de todos os outros países e em cruzeiros devem se auto-isolar por 14 dias. Todos os navios de cruzeiro estão proibidos de aportar nos portos australianos por 30 dias, a partir do dia 15 de março.

Nova Zelândia – Todos os viajantes que chegam ao país, com exceção dos provenientes das Ilhas do Pacífico, terão que se auto-isolar por 14 dias na chegada e se registrar na linha de saúde da Nova Zelândia. Essas medidas serão revisadas após 16 dias e depois a cada 14 dias.O governo também anunciou a proibição de navios de cruzeiro até o final de junho.

Se você tem informações relevantes sobre outros países não listados aqui ou versões atualizadas sobre os países mencionados, não deixe de nos enviar para atualizarmos a matéria. A luta contra a pandemia de coronavírus é de todos e temos que estar atentos a todas essas medidas preventivas. Para outras informações consulte o site da Organização Mundial da Saúde (OMS).

One thought on “Países se fecham para o turismo por conta da pandemia de coronavírus

  1. Realmente as coisas ficaram piores do que imaginávamos. Esse vírus parecia estar tão longe, lá na China… Mas rapidinho o coronavírus chegou ao Brasil trazendo alarde e muito medo. Espero que essa pandemia passe muito rápido e que logo podemos voltar as nossas atividades diárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *