Palácio Schönbrunn em Viena
Viena

Palácio Schönbrunn em Viena e a herança dos Habsburgo

Circulando pelas ruas de Viena, o que mais vemos são pessoas vestidas de Mozart, mas também de Sissi. A Imperatriz Isabel da Áustria desempenhou papel histórico importante no país. Sissi viveu no Palácio Schönbrunn em Viena, conhecido também como Palácio de Versailles do país. Por isso uma visita ao interior e jardins do palácio é sentir-se parte dessa história e ter um momento de realeza.

Como chegar ao Palácio Schönbrunn em Viena

Diferente do palácio de Hofburg, o Palácio Schönbrunn não fica no centro de Viena. Contudo, isso não se torna um problema, pois há acesso direto pelo metrô. Basta pegar a linha verde (U4) e saltar na estação Schönbrunn. Em menos de 10 minutos a pé, se chega à entrada do palácio.

História do Palácio

Antes de mais nada, a história do Palácio Schönbrunn em Viena começa no século XIV. Em 1569, a propriedade de Katterburg entrou na possessão de Habsburgo através de Maximilian II. Schönbrunn sofreu depredações por parte das forças turcas durante o cerco de Viena em 1683.

A partir daí, o Imperador Leopoldo encomendou ao arquiteto barroco Johann Bernhard Fischer von Erlach, um refúgio de caça para seu filho. Ele viria a se tornar o Imperador Joseph I, morrendo em 1711, ainda com a construção incompleta do palácio, a qual foi finalizada apenas em 1713.

O projeto de reconstrução se transformou em uma residência majestosa que, a partir de 1745, era ocupada todos os verões pela família imperial. Posteriormente, em 1770, no projeto final encomendado pela Imperatriz Maria Theresa, estava incluído o redesenho dos jardins.

A arquiduquesa Leopoldina de Habsburgo, futura esposa de D. Pedro I, viveu no palácio até 1817. Com os preparativos para o Congresso de Viena em 1814, Schönbrunn passou por uma renovação, cuja fachada recebeu a aparência de atualmente. Em 1996, o Palácio Schönbrunn em Viena passou a ser Patrimônio Cultural da Humanidade.

Faça sua reserva de hotel em Viena

Visita ao Palácio Schönbrunn

A visita ao Palácio Schönbrunn em Viena é aberta ao público, mediante venda de ingresso. Dos 1141 aposentos, 40 podem ser visitados durante o Grand Tour, que dura aproximadamente 50 a 60 minutos. Já o Imperial Tour permite visitação a 22 aposentos, durando aproximadamente 30 a 40 minutos. Fizemos o Grand Tour com audioguia, que é bem interessante, mas não é permitido tirar fotos.

Logo após partimos para conhecer os jardins, que abrigam diversas atrações. Além do Jardim Zoológico, que não fui conhecer, outras partes merecem destaque. Dessa forma, reserve ao menos 2 horas para ver todos os 1,6 km² do jardim, com calma.

Atrações nos Jardins do Palácio de Schönbrunn

A principal parte aberta dos jardins do Palácio Schönbrunn em Viena segue os princípios do design hortícola barroco. Os jardins eram uma expressão do status de um governante, seguindo a arquitetura do palácio.

O eixo central do palácio formou a “espinha dorsal” dos jardins, cuja simetria é feita por eixos ortogonais e diagonais. O ideal é caminhar por esta parte em direção à Fonte de Netuno. Quem encomendou o monumento foi Maria Theresa na década de 1770. O projeto é provavelmente de Hetzendorf von Hohenberg, enquanto o grupo escultural de mármore Sterzing teve execução por Wilhelm Beyer.

Palácio Schönbrunn
Visita ao Palácio Schönbrunn

Gloriette e Labirinto

Subindo uma pequena colina por trás da fonte, chega-se à Gloriette, com projeto de Hohenberg em 1775. A estrutura consiste em uma parte central sob a forma de um arco de triunfo, flanqueado por arcos semi-circulares. A seção central foi vidrada durante o último ano da vida de Maria Teresa. Em seguida, coroada com uma poderosa águia imperial empoleirada em um globo. No interior atualmente funciona um charmoso café, onde vale a pena parar para fazer um lanche ou comer um doce.

Talvez a atração mais interessante para todas as idades seja o Labirinto. São caminhos entre “paredes” altas de plantas, com becos sem saída e as falsas voltas de um labirinto clássico. Reconstruído de acordo com os desenhos históricos originais, é uma diversão garantida. Por fim, há uma parte com espelhos, que torna ainda mais interessante. Logo após a saída, uma plataforma de visualização com duas pedras com “propriedades energizantes”.

Jardins Privados de Meidling

Na lateral do Palácio Schönbrunn em Viena, ainda é possível visitar os Jardins Privados de Meidling. Este espaço corresponde ao jardim do príncipe herdeiro, datado de 1745-50. São quatro seções ao longo de um eixo central. A estrutura básica forma um corredor oval, coberto por plantas. A partir do terraço temos uma vista lateral do palácio. Nesse jardim estão, inclusive, algumas espécies raras de plantas.

Jardins Palácio Schönbrunn em Viena
Jardins do Palácio Schönbrunn em Viena

Com tempo, ainda vale conhecer as Ruínas Romanas e o Obelisco, por exemplo. Em outras palavras, se for explorar tudo, reserve um dia inteiro para a visita. O Palácio de Schönbrunn em Viena está aberto para visitação diariamente de abril a junho, setembro e outubro das 08h30 às 17h. Nos meses de julho e agosto, as visitas se estendem até às 18h. Enquanto de novembro a março, as visitas se encerram às 16h30.

9 thoughts on “Palácio Schönbrunn em Viena e a herança dos Habsburgo

  1. Quanta perfeição esse Palácio Schönbrunn em Viena. Vale super a pena reservar mesmo 1 dia inteiro pois tem muita coisa para visitar. Amo conhecer locais com história, ainda mais com tantos atrativos incríveis como os jardins e o labirinto. Dica mais que anotada. Obrigada por compartilhar

  2. Esse palácio é estonteante! Eles ainda oferecem o ticket 3 em 1? Podendo visitar o palácio + zoo + parque Prater. Eu fui num dia muito louco, pois estava frio e, de repente, abriu o sol. Imagina uma carioca friorenta, vestindo bota de couro e roupa de inverno para se proteger do frio, para depois morrer de calor dentro do palácio: hilário!

    A família real austríaca teve em suas mãos um poder econômico e político absurdamente grande. Além de controlar o seu território, eles ainda faziam casamentos estratégicos, como exemplo França e Brasil, com o intuito de ter posses em outros territórios vizinhos e/ou continentais.

    1. Dani, ainda vendem esses tickets sim. Eu acabei visitando o Prater em um final de tarde, porque estava ali perto. Por isso não optei por esse ticket. Existem outros combos ainda, depende do seu roteiro e interesse.

  3. Nossa que lugar lindo. Realmente a primeira coisa que pensei quando olhei para a foto do Palácio Schönbrunn em Viena foi que parece demais com o de Versalles. Adorei as informações e dicas de viagem e quero poder usá-las logo 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *