Curitiba

Memorial Ucraniano no Parque Tingui em Curitiba

Localizado no Parque Tingui, o Memorial da Imigração Ucraniana foi um dos locais que mais gostei de conhecer nessa minha última viagem a Curitiba. O memorial foi erguido em homenagem aos imigrantes ucranianos que chegaram à cidade. A dica foi da minha amiga Tati e valeu muito a pena ter ido visitar, porque lá pude aprender um pouco da cultura e tradições ucranianas.

O parque onde fica o memorial é um dos principais parques da cidade, inaugurado em 1994 e conta com 380 mil m² de área, às margens do rio Barigui. Recebeu esse nome em homenagem aos índios tingui que habitavam a região na época da colonização pelos portugueses, inclusive na entrada principal do parque podemos ver uma estátua em bronze do cacique da tribo, Tindiquera. O parque possui lagos, pontes de madeira cobertas, parque infantil, ciclovia e bastante área verde, além de ter como principal atração o Memorial da Imigração Ucraniana.

A construção presente no parque hoje é uma réplica em madeiras nobres da antiga capela de São Miguel, da Serra do Tigre, no município de Mallet (PR). A igreja de São Miguel original foi construída, no final do século XIX, e é uma das construções ucranianas mais antigas do Brasil. Segue um estilo arquitetônico bizantino, tradicionalmente usado nas igrejas ortodoxas eslavas, com cúpula em bronze no formato de cebola e campanário externo.

Inaugurado em 26 de outubro de 1995, com a presença do presidente ucraniano Leonid Kutchma e autoridades religiosas do país, em homenagem ao centenário da chegada dos imigrantes, o Memorial da Imigração Ucraniana é um tributo à contribuição desse povo a cultura do Paraná . O que se tem relato é que uma das correntes imigratórias dirigidas ao Brasil, a partir de 1891, foi a dos ucranianos, mas foi só a partir de 1895 que as grandes levas de imigrantes fixaram-se nos arredores de Curitiba e, mais tarde, em Prudentópolis e Marechal Mallet. A estimativa é de que cerca de 45 mil ucranianos tenham imigrado para o Paraná até 1914 e atualmente essa comunidade compreende 90% dos 400 mil imigrantes ucranianos no Brasil.

A réplica da capela é aberta ao público de terça a domingo das 10h às 18h e expõe ícones religiosos, pêssankas e artesanato, na exposição permanente chamada: “Ícones, Pêssankas e Rushnek”.

As pêssankas são peculiaridades da Páscoa ucraniana, que na Europa coincide com a primavera. São ovos coloridos, pintados a mão, chamados pessankê e datam do séculos XIII, porém alguns motivos ornamentais têm milhares de anos. Os motivos usados nas pêssankas podem ser geométricos que são os mais antigos e têm como destaque pequenos círculos e triângulos simbolizando a Santíssima Trindade. Outros motivos como de plantas e animais são comuns em determinadas regiões da Ucrânia e normalmente aparecem entremeados com os motivos geométricos.

A pêssanka é guardada com carinho, atribuindo-se a ela grande poder mágico, como se fosse um talismã ligado a diversas crenças e superstições, como proteger a casa do fogo e de raios ou livrar pessoas da má sorte. As que estão expostas são confeccionadas em ovos naturais de galinha, codorna, garnisé, gansa e cisne. Os que quiserem levar uma para casa, podem comprar na lojinha de artesanato em anexo ao Memorial, porém aviso que o preço não é tão barato. No jardim ao fundo da capela está uma grande pêssanka esculpida em ferro.

Além das pêssankas, estão expostos no interior da capela alguns bordados de desenhos seculares que conservam ainda inúmeras características bizantinas. Os bordados ucranianos remetem às tradições seculares, onde cada detalhe tem uma razão de ser, desde sua composição, cor e técnica. Os ornamentos com desenhos livres e costuras feitas com fios de prata e ouro são os mais usados, porém os mais antigos eram feitos com fios de linho ou de lã, tingidos com sumo de frutas, vegetais ou cascas de árvore.

Ícones religiosos – pinturas religiosas que retratam o sagrado – também estão expostos. Nos templos ucranianos, uma parede separa o altar do corpo da construção e é justamente nessa parede que são colocados os ícones, formando os ikonostáss. Nos séculos XII e XIII, os ícones eram pintados em esmalte, porém ao final da Idade Média passaram a ser feitos sobre madeira, com cubos microscópicos de ouro, prata e de cores recobertas de uma camada de cera. As expressões artísticas do sagrado, em estilo naif, resistem ao tempo e as reproduções que compõem o Memorial são marcas da tradição e da fé religiosa dos ucranianos.

No jardim à frente da réplica da capela está um monumento em granito com uma cruz vazada no centro. Este monumento é alusivo ao Holodomor – regime de Stalin que levou ao genocídio contra milhões de ucranianos em 1932, também conhecido como extermínio pela fome – levando à morte de um quinto da população agrícola da Ucrânia. O monumento exposto no parque é do escultor paranaense Elvo Benito Damo e é uma réplica do Memorial existente na capital da Ucrânia, cidade de Kyiv, situado à frente da Igreja de São Miguel (Michalovska). Em 24 de outubro de 2011 o presidente da Ucrânia Victor Yanukovich visitou o memorial e depositou flores no monumento alusivo ao Holodomor.

Festas típicas e apresentações folclóricas acontecem no local como no Sábado de Aleluia – a Benção dos Alimentos. Em agosto, acontece a Festa Nacional da Ucrânia; em outubro, a Festa da Colheita; e em novembro, a Festa de São Nicolau.

Eu cheguei ao parque de carro que aluguei para conhecer a cidade, mas algumas linhas de ônibus passam a cerca de 300 metros da entrada do parque, partindo da Travessa Nestor de Castro. Além das linhas comuns, o ônibus da linha Turismo faz parada em frente ao Memorial Ucraniano.

Endereço: Rua Dr. Mba de Ferrante, s/nº, Parque Tingui – São João

16 thoughts on “Memorial Ucraniano no Parque Tingui em Curitiba

  1. Oi Leo! Nossa, eu não tinha ideia que tinha um memorial ucraniano aqui no Brasil. Fiquei bem chocada com isso, o que acabou me deixando bem curiosa.
    Achei o local bem bonito e fico imaginando o quanto dá pra fazer e aprender por aí! Adorei a dica e, como adoro visitar o sul, vou mudar a rota pra poder conhecer o local. Beijos

    1. Raíssa, também me surpreendi e depois descobri que Curitiba tem uma grande colônia de ucranianos. Por isso, o memorial. Aquela máxima de viajando e aprendendo né?

  2. Olá!

    Adoro esses memoriais, eles nos contam tanta história né? Fora as homenagens às pessoas importantes e situações marcantes que aconteceram… acho incrível!!
    Achei lindo esse memorial ucraniano e nunca imaginei que teria um desse em Curitiba. Com certeza visitarei quando estiver por lá.

    Grande beijo

    1. Também não imaginava um memorial desse por lá, mas depois fiquei sabendo que Curitiba recebeu muitos Ucranianos e tem uma colônia grande. Interessante né?

  3. Oi Leo!!
    Que lugar bonito. Eu nunca foi em Curitiba, então não sabia desse memorial. Achei o lugar tão bonito e parece nos trazer uma paz interior.
    Como sempre seu blog trazendo ótimas dicas de passeios e viagens!!
    Bjs
    Adriana Cardoso

  4. Oi Leo,

    Vou em Curitiba no final de ano e sempre fico bem animada com as dicas que vejo de lugares para visitar na cidade. com certeza esse Memorial já vai entrar na minha lista de lugares a visitar. Gostei de saber que ele tem a representação da cultura ucraniana e nos apresenta muitas coisas também de sua religião, isto é sempre um ponto positivo. As fotos ficaram lindas, como sempre. Belo post!

    Beijos!

  5. Oi, tudo bem??

    Cara que interessante isso!!! Não sabia que curitiba recebeu varias ucranianos e que tem até colonia, poxa vida, isso realmente foi a minha descoberta da semana! As fotos ficaram muito bonitas, fiquei super curiosa pra conhecer, quem sabe um dia né?! <3

  6. Que interessante, não fazia ideia de que havia acontecido imigração ucraniana para o Brasil, fiquei surpresa! É mais uma prova do quão rico culturamente nosso país é. Gostaria muito de conhecer esse parque um dia, o local é lindo !

  7. Gosto demais de textos como o seu, que trazem muitas informações do lugar em si, e da história por trás disso. Bem legal que tem um memorial como esse por aqui, no Brasil. Eu ainda não fui em Curitiba,mas pretendo ir. Quando for, com certeza irei visitra esse lugar. Achei belíssimo! Abraços!

  8. Leo que lugar lindo!!!!
    Da muita vontade de conhecer depois de ver as suas fotos e os relatos. Quem sabe ainda terei oportunidade de visitar.
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *