Santorini

Hotel em Santorini: Oia Suites reflete a beleza da ilha

Santorini é considerada por muitos a ilha mais romântica da Grécia e justamente por isso muitas pessoas optam em passar lua de mel por lá. Por isso, o preço de hotel em Santorini já aumenta. Se quiser ficar em Oia (lê-se “Ia”), área de onde é possível assistir a um belíssimo pôr-do-sol, fica um pouco mais caro.

Então quando eu programei minha ida à ilha, escolhi um hotel em Santorini que ficasse no meio termo em relação a preço e por isso escolhi o Oia Suites que fica em Finikia, região bem próxima a Oia – aproximadamente 20 minutos a pé até o centro de Oia.

Como expliquei em outro post, Santorini tem várias regiões, sendo a mais badalada, Oia. Além dos hotéis nessa área serem mais caros, muitos deles são construídos nas encostas, dificultando um pouco o acesso para quem está com malas. Eu levei apenas uma mala média para a viagem, mas já é um transtorno andar em piso liso, imagina descer a encosta carregando-a na mão. Claro, alguns hotéis têm camareiros à disposição para fazer esse serviço, mas obviamente que o preço acaba embutido nas diárias mais caras.

A opção que encontrei foi me hospedar em Finikia, região que antecede fisicamente Oia e consegui uma tarifa mais barata que as que tinha visto no badalado vilarejo por um quarto com muito mais conforto. Um fato é inegável, peça um quarto com vista para a Caldera, que é a vista para o mar Egeu, já que a formação rochosa está submersa devido à imersão pelo mar após erupção do vulcão. Pensando em tudo isso, nossa escolha foi pela Junior Suite com banheira de hidromassagem e vista para a Caldera.

O receptivo do hotel foi perfeito. Já tinha deixado reservado, através de troca de e-mail com a recepção do hotel, o transfer que nos levou do aeroporto para lá, já que a distância aeroporto-hotel era longa – o custo foi de €30 pelo táxi e não por pessoa. Meu voo de Mykonos para Atenas atrasou e com isso tive que atrasar o voo de Atenas para Santorini. Liguei para o hotel, expliquei o ocorrido e mesmo assim, quando chegamos algumas horas depois do previsto, nosso motorista estava lá nos aguardando.

Ao chegar no hotel fomos muito bem recebidos pela Anna que nos explicou como funcionava o hotel, o café da manhã e nos mostrou o quarto, que foi o de número 3, dividido em 3 ambientes: sala, quarto e banheiro. A sala com um bom espaço de circulação (foi onde deixamos nossas malas inclusive) apresentava ao fundo uma pia, frigobar, cafeteira e armários com pratos e copos, ou seja, uma mini cozinha (sem fogão), o que facilitou quando trouxemos sobremesa para comer no quarto, um dia. Além disso, um sofá, cadeira, televisão e mesa de centro.

O acesso ao quarto se dava por uma escada de dois degraus, uma vez que o quarto fica mais baixo em relação à sala. Com cofre de segurança dentro do armário e uma porta dupla que levava à varanda. Cama de armação simples, mas colchão e travesseiros confortáveis.

A sala fica separada do quarto e banheiro por portas. O banheiro todo em cimento escovado dá um ar de casa de praia, porém amplo e sempre limpo. O chuveiro com diversas opções de regulagem da ducha, incluindo jatos massageadores foi uma grata surpresa, além dos amenities básicos e tipicamente gregos.

Na varanda, se encontra a banheira de hidromassagem, que para minha surpresa era bem grande, cabendo duas pessoas deitadas tranquilamente. A recepcionista nos explicou como usava – que aliás é super intuitivo – e foi só aproveitar os finais de tarde e início das noites relaxando após os dias de passeio pela ilha. A vista da varanda dava para a Caldera, foi um atrativo a mais relaxar na banheira enquanto apreciávamos o visual.

O café da manhã é servido na varanda no horário que o hóspede estipular e por isso ao fazer o check-in você seleciona os itens e quantidade que gostaria de comer no café da manhã. Vale ressaltar que você pode mudar essa lista e o horário a qualquer momento, basta avisar na recepção no dia anterior. Achei perfeito poder fazer a primeira refeição do dia em privativo e mais uma vez com a vista da Caldera. O hotel ainda oferece junto com o desjejum um informativo diário – como se fosse um jornalzinho – com a previsão do tempo para o dia, dicas de passeios e um pouco de curiosidades sobre a ilha. Um mimo que me agradou bastante.

No primeiro dia, como chegamos já tarde à ilha por causa do atraso nos voos, acabamos vendo o famoso pôr-do-sol da piscina do hotel mesmo (foto de capa). A área da piscina é bem grande, muitas espreguiçadeiras, piscina de bom tamanho e ainda conta com uma sauna. Da piscina do hotel também tivemos uma excelente vista da Caldera e do vilarejo de Oia, onde fomos jantar algumas noites.

Para chegar a Oia, fomos a pé por um caminho pelos fundos do hotel. Bastava seguir reto até a entrada do vilarejo de Oia, um percurso que como comentei levava em torno de 20 minutos. O único inconveniente desse percurso é que não é iluminado, então na volta tivemos que usar a lanterna do celular para iluminar o caminho que estávamos andando, porque a luz da lua crescente iluminava apenas o mar Egeu. 

Foi uma ótima estadia no hotel, relaxamos bastante, aproveitamos as dependências e sem dúvida recomendo como uma ótima opção de onde ficar em Santorini, em especial se julgar o custo-benefício. Abaixo uma panorâmica do hotel em Santorini e a vista que tínhamos. Realmente lindo demais!

Faça a reserva deste ou de outro hotel em Santorini clicando neste link. Você ajuda o Panorama de Viagem a se manter no ar com dicas como essa, sem pagar nada a mais por isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *