Bruxelas

Atomium, o símbolo máximo de Bruxelas

Um dos símbolos da cidade de Bruxelas é uma estrutura de 102 metros de altura construída em 1958, para a feira mundial Expo ’58. Não era intenção que ela “sobrevivesse” além dessa data, mas sua popularidade tornou o Atomium um marco da cidade de Bruxelas, tomando notoriedade por toda Bélgica e Europa.

Um totem seminal no horizonte de Bruxelas. Nem torre, nem pirâmide. Um misto entre escultura e arquitetura. Uma relíquia do passado com um olhar decididamente futurista. O Atomium é o único símbolo de seu tipo no mundo, o que ilude qualquer tipo de classificação. Formado por esferas de 18 metros de diâmetro e tubos de 3,5 metros de diâmetro por 23-26 metros de largura, o Atomium virou uma atração para adultos e crianças.

A estrutura fica fora do centro da cidade, porém é fácil chegar até ela. Basta pegar o metrô até a estação Heizel (linha  6) e andar por 5 minutos até chegar à praça do Atomium. Existem placas indicando o caminho, porém é basicamente seguir as pessoas que provavelmente estarão indo para o mesmo local que você.

Ao chegar damos de frente com uma mensagem de boas-vindas (Be Welcome) logo abaixo do grande átomo. Ali já começam as fotos interativas com as letras, aproveitando o átomo de fundo. Quando fomos anda tinha um carro temático, não sei se exposto ou se um carro oficial da atração, mas estava lá e valeu uma foto.

A compra dos ingressos é feita em um prédio a parte e o ingresso custa €11 (adulto), €8 (12-18 anos e maiores de 60 anos) e €6 (crianças de 6 a 11 anos); para os mais novos que 6 anos a entrada é gratuita. Não há no site venda online e agendada para a atração. A fila para compra do ticket não estava grande – talvez por ser inverno – e andou bem rápido.

Encaminhando-se para o prédio do Atomium em si, é necessário passar por um detector de metais e revista de bolsas e mochilas. Logo após você é recepcionado por uma das personagens de quadrinhos belgas, o Marsupilami, com direito a foto que você pode comprar ao final da visita na loja de souvenirs.

Abrindo um parêntese, o Marsupilami é personagem que surgiu em 1952 nas histórias em quadrinhos de Spirou e Fantásio, personagens franco-belgas criados por Robert Velter e Jean Dupuis.

Voltando à visita ao Atomium, após a foto com o Marsupilami nos encaminhamos para a fila do elevador que nos dá acesso ao topo do Atomium. A vista 360º do topo do Atomium é interessante, mostrando Bruxelas do alto e nos painéis está localizada a distância dali para alguns países. Dali, toda descida é feita por escadas até chegar no térreo novamente.

Descendo, os dois andares seguintes foram dedicados à exposição temporária “Orange Dreams – Plastic is fantastic” baseada na coleção Plasticarium de Philippe Decelle, a exposição mostra o plástico como um material simbólico dos anos 60, desde objetos de uso diários a peças de arte. A concentração de objetos de plástico laranja tem em foco uma visão de um passado recente. Eu achei interessante por fazer lembrar de alguns objetos que não vemos mais hoje em dia.

Nos andares seguintes a exibição permanente de como foi criado o Atomium, toda a história dos 55 anos do monumento, desde os primeiros desenhos a fotos de sua construção, passando por uma escada rolante escura onde apenas alguns jogos de luzes iluminam o percurso. Até chegar de volta ao piso térreo onde saímos por uma loja de souvenirs.

Vale lembrar que no topo do Atomium, um nível acima do andar de onde temos a vista da cidade, existe um restaurante panorâmico, o Belgium Taste. Não visitamos o restaurante porque tínhamos acabado de tomar café da manhã, mas se estiver indo visitar o Atomium na hora do almoço, acho que vale a pena conferir o restaurante, apesar de já ter lido que um jantar com a vista lá de cima é algo fantástico.

Na saída vamos de encontro com uma escultura vermelha com pontas espelhadas, o Rockgrowth. Segundo o autor Arik Levy, essa peça fala de desenvolvimento, crescimento, alegria e energia. Para nós rendeu muitas fotos interessantes.

Durante o verão é possível comprar um ticket combinado entre o Atomium e o parque Mini Europa que tem miniaturas de atrações turísticas de vários países da Europa. Como fomos no inverno, o parque Mini Europa estava fechado, apesar de estar ali do lado, intacto e em um dia sem neve. Ao menos conseguimos foto dele, quando no último andar do Atomium.

Endereço: Square de l’Atomium – Tel.: +32 (0)2 475 47 75

Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

One thought on “Atomium, o símbolo máximo de Bruxelas

  1. Adorei bastante.
    Tenho presente o quão fascinante é esta Imensa Torre Atomium.
    Eu e Esposa visitamos Bélgica nas férias de 2019 e adoramos imenso.
    Felizmente estivemos hospedados no H Ibis bem pertinho da Torre à cerca de 600 Metros dalí mesmo.
    Estávamos bem pertinhos.
    Viva a Torre.
    Arnaldo Bande e
    Maria de Lourdes Bande
    Maputo Moçambique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *