Templo Zeus Olímpico
Atenas

Templo Zeus Olímpico: ruínas do tributo ao rei dos deuses

santuário de Zeus Olímpico também conhecido como templo de Zeus Olímpico é um dos mais antigos e mais importantes santuários de Atenas. Apesar de hoje só ser possível ver as ruínas, podemos ter uma noção do quão imponente era quando intacto.

De acordo com a tradição, o templo foi construído por Deucalion, filho de Prometeus e primeiro ancestral do povo grego. O motivo: um tributo a Zeus após ter se salvado do dilúvio. Porém, o templo começou a ser edificado por Pisístrato, tirano da antiga Atenas, em 515 a.C. no local de um arcaico templo. Contudo, a construção foi interrompida pela deposição do filho de Pisístrato, sete anos depois.

Ele então só foi terminado anos depois pelo imperador Adriano. Ele mandou erguer uma grande estátua de Zeus em ouro e marfim bem no centro do templo, ao lado de uma estátua em sua própria homenagem. Porém nenhum resquício dessas imagens permanece atualmente no local. Não se sabe ao certo como o templo foi destruído, mas a causa mais aceita é a de um terremoto na época medieval.

Visita ao Templo Zeus Olímpico

Originalmente possuía 104 colunas coríntias de calcário e seguia o estilo dórico muito comum nas obras arquitetônicas gregas. Dessas colunas, apenas 16 restaram até o ano de 1852, quando uma forte tempestade derrubou uma coluna que permanece até hoje caída ao lado das demais remanescentes.

A visita ao local não permite a entrada por entre as ruínas como no caso da visita à Acrópole. As colunas remanescentes estão isoladas por uma fita impedindo a passagem.

Templo Zeus Olímpico
Visita ao Templo Zeus Olímpico

Antes de chegar à entrada para o templo de Zeus, passamos pelo Portão de Adriano, um grande arco do triunfo em homenagem ao imperador Adriano por seu trabalho em Atenas. Foi construído em 132 d.C. na rodovia que ligava a cidade com os santuários ilissianos, marcando a fronteira entre a velha e a nova cidade.

O monumento apresenta 18 metros de altura e é dividido verticalmente em duas partes distintas. A mais baixa remete à forma romana de um arco honorário enquanto a parte mais alta remete ao propileu grego tradicional.

A entrada para o templo de Zeus é paga e está incluída no bilhete unificado que dá acesso a Acrópole e outras edificações a um preço só. Inclusive é possível visitar a Acrópole e depois caminhar para o local onde estão as ruínas do templo.

Leo Vidal
Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *