cuidados ao viajar grávida
Documentação

Viajar grávida de avião: quais cuidados deve ter

Nós que gostamos de viajar estamos sempre planejando novos roteiros para explorar diferentes destinos. Muitas vezes planejamos com uma certa antecedência para que tenhamos tempo de organizar tudo com calma e carinho. Mas e se nesse meio tempo, surgir a notícia de uma gravidez? Reuni algumas informações e dicas para saber se existe algum risco em viajar grávida, especialmente de avião.

Viajar grávida de avião: quando e como?

Antes de mais nada, é preciso saber que voar enquanto estiver grávida não põe em risco o feto. Ademais, não há evidências científicas de um risco aumentado de aborto espontâneo, deficiências de nascença ou nascimento prematuro. O bebê fica bem protegido de mudanças externas ao corpo da mãe, como variações na pressão do ar ou umidade na cabine do avião. Porém é importante levar em consideração algumas questões ao viajar grávida.

Acho que o fato que gera mais dúvida é até que mês de gravidez pode viajar de avião. Claro que cada gravidez tem suas particularidades e a melhor forma é consultar seu médico, antes de mais nada. No entanto, recomenda-se que as mulheres que estejam próximas do nono mês de gravidez, ou 36 semanas, não peguem nenhum voo. Também não se recomenda que a mãe e a criança voem durante a primeira semana após o nascimento. Mesmo que a mãe já tenha conseguido viajar grávida antes, pode ser que na segunda gravidez não seja indicado. Ou seja, o que importa é a gravidez e não apenas, de pessoa para pessoa.

Trombose Venosa Profunda: como evitar?

Quanto aos riscos em relação à radiação cósmica, para uma maior segurança, recomenda-se evitar viagens aéreas muito frequentes enquanto estiver grávida. Desenvolver alguma trombose é bem comum na gravidez e voar aumenta esse risco. A Trombose Venosa Profunda (TVP) é uma doença potencialmente fatal em que coágulos sanguíneos podem se formar nas veias profundas do corpo, especialmente nas pernas. Além disso, ficar muito tempo sentada ao viajar grávida pode fazer com que o sangue fique concentrado nas pernas.

Mas há algumas ações para prevenir ou reduzir o risco de trombose, como andar ao longo da cabine a cada 15 ou 30 minutos, se for possível. Outra dica é fazer exercícios simples de alongamento mesmo em seu assento. Além disso, recomenda-se beber muita água e evitar álcool e cafeína. Usar meias de compressão também ajuda, mas é importante que o uso siga orientação médica.

Documentação Médica: o que é importante levar?

Em termos de documentação, o que precisa levar consigo ao viajar grávida? Em determinados casos, será necessária uma autorização médica e até uma declaração de gravidez recente. Nela deve conter data de validade e informar quantas semanas de gravidez a mulher está. Em muitos países, os funcionários de companhias aéreas podem pedi-lo. Vale ressaltar que esse regulamento muda entre as companhias aéreas.

Dependendo do destino, as orientações sobre vacinação e prevenção contra doenças como malária e febre amarela podem variar no caso da gravidez. Por isso, é extremamente importante se atentar à forma de imunização, especialmente quando visitar países ou regiões onde essas doenças são predominantes. Em casos mais extremos, é desencorajado viajar grávida para um país específico por conta dos riscos de contaminação. Tirando essa preparação extra, o ideal é estar sempre com boa orientação médica antes de qualquer viagem. Posteriormente, uma vez liberada, aproveitar o voo e a sua viagem.

Redação
A equipe de redação do Panorama de Viagem está sempre buscando trazer as principais novidades do mundo do turismo. Hotéis incríveis, destinos inusitados e eventos imperdíveis. Tudo para fazer o leitor se inspirar e viajar cada vez mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *