Companhias Aéreas Minha Experiência

Como é a viagem para Tóquio na business class da Alitalia

Viajar para a Ásia em dois voos que somam 24 horas (12 horas cada trecho), sem contar tempo de estadia no aeroporto, é bem cansativo. Pensando em amenizar essas horas de voo com um pouco mais de conforto, em minha ida para o Japão, escolhi viajar na classe executiva da Alitalia e conto como foi a minha experiência.

Um motivo que fez eu escolher a Alitalia como companhia aérea para a ida ao Japão foi ela ter voo saindo direto do Rio de Janeiro. A viagem para Tóquio foi dividida em dois trechos: o primeiro Rio de Janeiro (GIG) a Roma (FCO) e o segundo de Roma (FCO) para Tóquio, no aeroporto de Narita (NRT). O voo de volta corresponde aos mesmos trechos, no sentido inverso.

O atendimento no momento do check-in no Galeão foi meio tumultuado, mas não teve problemas. Durante o voo, os comissários a todo momento se mostraram prestativos, visando o bem-estar do viajante. O trecho Rio de Janeiro-Roma (e o inverso) está sendo operado em um Airbus A330, porém só fizemos o trecho Roma-Rio de Janeiro nesse avião, já que a nossa ida foi em um Boeing 777, a mesma aeronave usada no trecho Roma-Tóquio (e o inverso).

A configuração tanto do Boeing 777, como do A330 é 1-2-1 na classe executiva para todos os trechos que voei, o que acho ótimo já que em qualquer uma das poltronas o acesso ao corredor é facilitado. Um detalhe importante é que as fileiras se alternam na disposição das poltronas. Minha opção foi pelas poltronas que eles chamam de matrimoniais (3E e 3G) por serem juntas, sendo separadas apenas por uma espécie de biombo móvel. O espaço interno é amplo, permitindo boa circulação. A área de bagageiro é maior no Boeing, disponível também para as poltronas do meio. Já no A330, o bagageiro além de menor, só está disponível acima da poltronas da janela.

As poltronas reclinam totalmente, porém achei o espaço estreito. Para mim deu tudo certo, mas alguém mais truculento pode ter problemas. Todas elas possuem opção de massagem pontual ou em movimentos ondulares. Achei o ar condicionado fraco, em especial quando a poltrona está no modo horizontal, parece que de alguma forma o ar não chega por completo ali. Senti um pouco de calor em alguns momentos do voo, mesmo assim consegui dormir bem durante as horas no avião, melhor do que se estivesse na classe econômica.

O kit amenidade é da Bulgary e vem com todos artigos necessários incluindo creme de mãos e perfume (em amostra). As refeições são feitas on demand, de acordo com o horário que o passageiro desejar. O menu é variado, com aperitivo servido antes das refeições e boas opções de entrada, prato principal e sobremesa. A comida é servida em louça, com detalhe especial para as louças do café.

O entretenimento de bordo é em TVs com tamanho pequeno para o padrão de outras companhias. A qualidade da imagem é razoável e a opção de filmes é boa, porém poderia ser melhor. Algo que faz diferença é a disponibilidade de filmes de vários países, incluindo claro, filmes italianos e japoneses. Não foi mencionado e não questionei sobre serviço de internet a bordo, afinal estava querendo mesmo relaxar para chegar descansado ao destino.

Viajando na business class da Alitalia, o passageiro tem acesso ao lounge VIP Casa Alitalia no aeroporto Fiumicino, que já contei em detalhes a minha estadia, enquanto aguardava pelo segundo trecho do voo. Sem dúvida, viajar na classe executiva da Alitalia para o Japão foi um bom investimento, além de Roma ficar bem no meio do trecho, o fato de reclinar totalmente a poltrona, facilitou um bom sono durante o voo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *