Golden gate Park em San Francisco
San Francisco

Atrações imperdíveis no Golden Gate Park em San Francisco

Golden Gate Park em San Francisco é o terceiro parque mais visitado nos Estados Unidos. Enquanto o acesso ao parque é gratuito, as atrações populares cobram admissão. É ocaso por exemplo do Museu deYoung, Academia de Ciências da Califórnia e Conservatório de Flores. Reserve um dia para conhecê-lo.

Com uma marca incrível de mais de 13 milhões de visitantes a cada ano, o Golden Gate Park é um dos maiores tesouros naturais de San Francisco. Originalmente, uma vasta área de dunas de areia, o parque foi projetado  pelo engenheiro William Hammond Hall e o jardineiro John McLaren em 1890. A partir daí, se transformou em um espaço verde de 1.017 acres, em torno de 5 km de comprimento. O parque é repleto de jardins, museus, arte, flores, árvores, lagos, pássaros e vida selvagem. Reunimos aqui as atrações imperdíveis que podem ser explorado em um dia.

California Academy of Sciences

A atração mais visitada do parque talvez seja a Academia de Ciências da Califórnia (California Academy of Sciences). A mais antiga instituição científica no oeste dos Estados Unidos, em prédio projetado por Renzo Piano. Fundada em 1853 por um grupo de naturalistas e cientistas, ao final do século XIX, já dispunha de uma grande coleção de espécimes e artefatos que atraíram milhares de visitantes. Nos anos seguintes, recebeu o Steinhart Aquarium, Simson African Hall, o Kimball Natural History Museum e o Morrisson Planetarium. O Planetário exibe um filme sobre o início do Universo que não achei tão interessante para o tamanho da fila que enfrentamos. Se você não for muito fã do tema, aconselho a passar direto.

California Academy of Science
California Academy of Science no Golden Gate Park

O Steinhart Aquarium se espalha por grande parte do museu, em especial no subsolo, com o tanque com recife de coral mais profundo do mundo. O Swamp-Sightseeing permite explorar um pântano de dois andares, com tartarugas, peixes e o instigante crocodilo branco, que parece de mentira. Só acreditei que era de verdade quando ele se mexeu rapidamente.

Considerado o maior museu “verde” do mundo, inclui também uma área de quatro andares (Rainforests of the World), com vários habitats da floresta tropical. A Academia continua sendo uma importante instituição de pesquisa e ensino. Está aberta à visitação de 2ª a sábado das 9h30 às 17h e aos domingo das 11h às 17h.

Museu deYoung

Outro museu que fica no terreno do parque é o deYoung Museum, o museu mais antigo de São Francisco. Originalmente, o Museu de Belas Artes de San Francisco, com a crescente coleção de artes, o museu reabriu ao público em 2005, dentro de um moderno edifício de cobre revestido, desenhado pelos arquitectos Herzog & de Meuron. O museu oferece aos visitantes coleções de arte das Américas e Contemporânea, além das exposições itinerantes. Quando fui em fevereiro de 2019, estava tendo uma mostra especial de Monet. Em frente ao prédio a famosa estátua Sphinx de Arthur Putnam, datada de 1907.

deYoung Museum
deYoung Museum

Vale a pena conhecer seu interior e o jardim interno com algumas obras e arte. Destaque para as esculturas em formato de maçã no gramado, como se tivessem caído das árvores. O prédio está localizado a leste do Jardim Japonês, na 50 Hagiwara Tea Garden Drive. Aberto das 9h30 às 17h de terça a domingo, sendo que às sextas fecha às 20h45.

Jardim Japonês no Golden Gate Park em San Francisco

Uma atração imperdível e minha preferida é o Jardim Japonês (Japanese Tea Garden), que também cobra a entrada, exceto às 2ª, 4ª e 6ª antes das 10h. É o mais antigo dos Estados Unidos, criado para a exposição internacional de 1894, Califórnia Midwinter, como parte da exposição da vila japonesa da feira.

São cinco hectares de plantas cuidadosamente escolhidas e bem cuidadas, incluindo estações elevadas de bambu, várias espécies de árvores e arbustos e uma excelente coleção de bonsai. Várias pessoas foram responsáveis pela criação do jardim de chá, mas a força motriz foi o imigrante japonês Makoto Hagiwara, um rico paisagista. Após a conclusão da exposição em 1894, a cidade decidiu manter o jardim. Hagiwara transformou-se o cuidador oficial em 1895 e viveu no jardim com sua família até sua morte em 1925.

Jardim Japones em San Francisco
Jardim Japonês em San Francisco

A entrada é feita por um portão de madeira e pelo caminho muitas lanternas de pedra. Além disso, um pagode de cinco andares, datado da Exposição Internacional Panamá-Pacífico de 1915, um Jardim Zen construído de pedras e cascalho, a Drum Bridge (uma relíquia da vila japonesa original), e uma casa de chá e loja de presentes. Um grande Buda de bronze de 1790, perto do salão de chá, foi trazido ao jardim em 1949. A Lanterna da Paz situada atrás do pagode foi comprada com as contribuições de alunos japoneses e instalada no jardim em 1953, por comemoração do tratado de paz EUA-Japão, assinado em San Francisco em 1951. Sem dúvida um local para apreciar, relaxar e meditar.

Jardim Botânico e Golden Gate Pavillion

Ao lado do Jardim Japonês está uma área que é considerada o Jardim Botânico de San Francisco, com mais de 8 mil espécies de plantas do mundo inteiro. Na área chamada Strawberry Hill, fica o Golden Gate Pavillion. A estrutura em formato de templo chinês foi um presente de Taipei para a cidade de San Francisco, em um ato de amizade e respeito cultural. A atração, com vista do Stow Lake, também comemora o envolvimento dos primeiros colonos chineses no crescimento da Califórnia.

Golden Gate Park em San Francisco
Golden Gate Pavillion ao fundo

Esculturas no Golden Gate Park em San Francisco

Adoro esculturas públicas e explorando o parque, encontrei três interessantes. Primeiramente, a que me chamou mais atenção foi uma em homenagem a Miguel de Cervantes, datada de 1916. Ao alto, o busto de Cervantes e embaixo, ajoelhados como se reverenciando o escritor, Don Quixote e Sancho Panza, personagens da obra de maior sucesso de Cervantes. Claro que tirei foto participando da escultura, como se fosse o terceiro membro.

A segunda é do artista Thomas Shields Clark, chamada Apple Cider Press, representando um homem espremendo maçãs enquanto outro recolhe a sidra do barril. A terceira é em homenagem ao compositor italiano Giuseppe Verdi feita por Orzio Grossoni e inaugurada em 1914. Também um presente para San Francisco, este dado pela comunidade italiana, representada por Ettore Patrizzi, dono de um jornal italiano na cidade.

esculturas no Golden Gate Park em San Francisco
Esculturas no Golden Gate Park em San Francisco

Por fim, ainda com tempo, explore a parte oeste do parque até a área da praia, onde estão dois moinhos de estilo holandês. Além disso, na parte mais leste, está o Conservatory of Flowers, o último em madeira dos Estados Unidos.

Para chegar ao parque é possível pegar o bonde N ou os ônibus 5, 7, 21, 71 ou 73, com pontos próximos a uma das entradas do parque.

Faça sua reserva de hotel em San Francisco por este link e ajude a manter o Panorama de Viagem sempre atualizado, sem pagar nada a mais por isso.

Leo Vidal
Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

10 thoughts on “Atrações imperdíveis no Golden Gate Park em San Francisco

    1. O deYoung é ótimo no conceito de arte, sempre com boas exposições. Vale a pena na próxima vez tirar um dia ara explorar todas as atrações do Golden Gate Park.

  1. Que massa, eu quero muito ir para São Francisco… sempre tivesse essa vontade vendo os filmes, ainda mais agora sabendo de tantas atrações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *