Vinícola Jolimont
Gramado

Visita na Jolimont: vinícola perto de Gramado

A Serra Gaúcha é muito famosa pela produção de vinhos no Brasil. No entanto, o Vale dos Vinhedos fica a alguns quilômetros de Gramado, tornando cansativo uma visita em bate-volta. O ideal para explorar a região dos vinhos no Rio Grande do Sul é passar alguns dias na região do Vale dos Vinhedos. Por isso, se você estiver em Gramado e ainda assim quiser conhecer uma vinícola, a sugestão é conhecer a vitivinícola Jolimont, em Canela.

História da vinícola perto de Gramado

Idealizada por um francês em 1948, a Jolimont é uma das pioneiras na produção de vinhos finos e artesanais. Localiza-se na região do Vale do Morro Calçado, cuja amplitude térmica é muito alta. O nome Jolimont significa “Belo Monte”, devido à região onde foi estabelecida, com 830 metros de altitude. Em 1982 a Jolimont ganhou a sua primeira medalha de ouro em um concurso internacional na Espanha. A partir daí, vem somando outros prêmios com seus vinhos e espumantes.

A produção dos vinhos na Jolimont acontece em 27 hectares cultivados em solos pedregosos e profundos. A incidência do sol nas primeiras horas da manhã favorece a maturação homogênea dos frutos. As baixas temperaturas durante o inverno são fundamentais às videiras no período de dormência. Dessa forma, as condições climáticas, aliadas à topografia montanhosa e ao excelente estado do solo, formam o terroir ideal.

Como Chegar à Vinícola Jolimont

Antes de mais nada, a melhor forma de chegar à vinícola Jolimont é de carro. Apesar de ser uma vinícola perto de Gramado, são 15 km a percorrer. Algumas empresas fazem esse passeio para a vinícola, mas você fica “preso” a um roteiro. Então, a melhor forma é ir por conta própria, seja de Uber ou de carro, como fizemos.

Fomos para a Jolimont em nosso carro alugado. Saímos pela manhã do Hotel Wood onde estávamos hospedados, chegando à vinícola logo cedo. O trajeto percorrido é bem tranquilo, seguindo a estrada pela Canela, facilmente acompanhado por um GPS. Há estacionamento gratuito no local, o que facilita a ida de carro. No caso de evitar dirigir após beber, vale a pena ir com algum motorista ou optar apenas pelos sucos de uva durante a degustação.

Logo após estacionarmos, nos dirigimos à recepção para mostrar nossos vouchers previamente comprados online. Os ingressos para o Tour du Vin dão direito a uma taça que será usada durante as degustações. O valor do ingresso varia de acordo com a taça: R$ 80 para taça de vidro e R$ 105 para taça de cristal. Os ingressos possuem validade de um ano após a confirmação do pedido.

Visita Guiada e Degustação na Jolimont

O Tour du Vin é uma experiência imersiva no mundo dos vinhos nacionais. Já com nossas taças em mãos, aguardamos o início da visitação guiada que é feita em grupo. O número de pessoas varia de acordo com o horário. À medida que as pessoas chegam, forma-se um grupo que inicia a visitação guiada pela área dos grandes barris de madeira. Primeiramente, é contada a história da Jolimont, com auxílio de um vídeo introdutório.

Em seguida, nos dirigimos a uma outra sala onde estão barricas de reserva de vinho. Inclusive, é possível personalizar sua própria barrica de produção de vinho. Muito comum para casamentos e festas de 15 anos ou para festas de empresas. Ali tivemos nossa primeira degustação até passar para a sala onde ficam as barricas de armazenamento dos espumantes. O espumante da Jolimont já recebeu diversos prêmios, em especial o Rosé que experimentamos na ocasião.

Visita guiada vinícola Jolimont
Visita Guiada na Jolimont

Por fim, chegamos à sala das degustações finais. Em parceria com a produtora de embutidos Chaulet, a degustação dos vinhos foi acompanhada de queijos e frios. Ao todo, experimentamos 7 produtos da Jolimont, entre vinhos e espumantes, além do suco de uva e cerveja da vinícola. Quem quiser, já pode encomendar ali mesmo os vinhos de interesse, que eles despacham para sua residência. O frete pode ser grátis dependendo do valor da compra.

Passeio pelas Parreiras

Por último, fomos andar por entre as parreiras, que são em espaldeira. Este tipo de parreira facilita as operações mecanizadas e apresenta boa aeração. A poda das parreiras acontece no inverno (poda seca), primavera e verão (poda verde). Dessa forma os frutos recebem a maior quantidade de luz e calor possível. Esta parte da visitação foi sem guia, onde passeamos por entre as parreiras com destino ao mirante com vista para a região do Morro do Calçado. Aliás, no local é feita a pisa das uvas na época da vindima, que se dá em fevereiro e março.

Parreiras Vinícola Jolimont
Passeio entre as parreiras da Jolimont

Como opção, há uma loja para quem quer levar algumas garrafas de vinho na hora. Aliás, caso não tenha feito sua encomenda durante a visita, pode fazer através da loja. Quem gosta de enoturismo, certamente tem que incluir a Jolimont em sua visita. Especialmente, quem não tem tempo de ir à região do Vale dos Vinhedos. Dessa forma, o visitante que está em Gramado ou Canela, pode ter uma experiência de vinhos da Serra Gaúcha, sem se deslocar muito.

Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *