Budapeste

Emocionante memorial às margens do Danúbio

Um dos memoriais aos judeus mortos na época da Segunda Guerra Mundial mais tocantes na minha opinião é o Shoes on the Danube. Em português, sapatos no Danúbio. Ele se encontra às margens do Danúbio, no lado Peste da cidade de Budapeste.

Localização às margens do Danúbio

Muitas pessoas não encontram o memorial, eu mesmo demorei a achar. Portanto, para facilitar está abaixo um mapa ilustrativo. Ele fica às margens do Danúbio na altura da Zoltán ulica (rua Zoltan). Aproximadamente 300 metros ao sul do Parlamento Húngaro, cerca de duas quadras. Porém, para se chegar às margens do Danúbio e bem próximo aos sapatos é preciso andar um pouco mais.

Histórico e significado

O monumento foi concebido pelo diretor de cinema húngaro Can Togay junto ao escultor Gyula Pauyer. São 60 pares de sapatos de estilo antigo, masculinos, femininos e infantis, esculpidos em ferro. Inaugurado em 16 de abril de 2005, o memorial é uma homenagem aos judeus que foram mortos por milicianos da organização fascista húngara Arrow Cross em 1944-45.

As esculturas representam os sapatos deixados para trás na margem do rio. Os judeus foram obrigados a se despir e tirar os sapatos. Em seguida, foram fuzilados pelas costas à beira do Danúbio. Posteriormente, seus corpos caíram no rio e foram levados pela correnteza. A justificativa para esta ação era de que os corpos dos judeus deveriam ser “lavados” após a morte. Sem dúvida, um marco triste na história.

Atrás da escultura encontra-se um banco de pedra de 70 cm de altura. Em três pontos no chão uma placa de ferro onde está escrito em húngaro, inglês e hebraico: “To the memory of the victims shot into the Danube by Arrow Cross militiamen in 1944–45. Erected 16 April 2005”. Traduzido para o português seria algo como: “Em memória das vítimas atiradas dentro do Danúbio pelos milicianos da Arrow Cross em 1944-45. Erguido 16 de abril de 2005”.

sapatos às margens do Danúbio
Shoes on the Danube

Homenagens e reconhecimento

Apesar de ter sido um verdadeiro massacre, muitos judeus foram salvos antes de irem para o pelotão de fuzilamento do Danúbio na noite de 8 de janeiro de 1945. Karoly Szabó e alguns policiais que invadiram a sede do movimento Arrow Cross foram os responsáveis por esse salvamento. Entre eles estava por exemplo, Lars Ernster, um dos membros do conselho da Fundação Nobel. Assim como Jacob Steiner, atualmente professor na Universidade de Jerusalém. Karoly recebeu a homenagem póstuma “Righteous Among the Nations” em 2012. Homenagem essa feita pelo Estado de Israel a não-judeus que arriscaram suas vidas durante o Holocausto, salvando, dessa forma, judeus das mãos dos nazistas.

O monumento já ficou em 10º lugar numa lista do site Arts Interface com 26 esculturas espalhadas pelo mundo, considerando não apenas a sua composição, mas a história e a cultura que elas representam nos lugares em que estão inseridas.

Essa é apenas uma das atrações turísticas gratuitas em Budapeste. Para conhecer outras, leia o texto do pessoal do Na Proa da Vida sobre o que fazer em Budapeste de graça.

Leo Vidal
Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

7 thoughts on “Emocionante memorial às margens do Danúbio

  1. Nossa, já anotei aqui direitinho a localização, porque sou a rainha de ficar rodando sem encontrar esses lugares… Já vi várias fotos e quero muito conhecer esse memorial às margens do Danúbio, acho muito poético e importante!

  2. Com certeza um lugar super impactante! Gostaria muito de conhecer. Nunca tive a oportunidade de ir a Budapeste, mas fico cada vez mais interessada. Bela dica!

  3. Nossa que sensacional! Olha, adoro memoriais! Acho que nos fazem refletir sobre as dores da vida e nos ajuda a ser mais humanos. Sensacional!

  4. Só as fotos já arrepiam, fico imaginando pessoalmente. São histórias que devem ser registradas para que a humanidade nunca mais deixe repetir.

  5. Essas atrocidades devem ser registradas, sim. Isto para que haja uma reflexão e não mais aconteçam. Assassinar inocentes só por serem judeus é cruel, desumano. Estive pessoalmente no local e é por demais chocante, triste o lugar onde estão os sapatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *