Natal

Conhecendo o maior cajueiro do mundo

Em dezembro de 2018, o maior cajueiro do mundo, localizado no município de Parnamirim, próximo a Natal, comemorou 130 anos. Com esse título, a árvore virou uma das principais atrações dos turistas que visitam a capital potiguar.

Quando estivemos em Natal, pegamos o carro e dirigimos até a praia de Pirangi, que fica a 25 km da capital do Rio Grande do Norte. Dependendo da hora pode ser difícil estacionar, como fomos no meio da manhã, conseguimos um estacionamento não muito longe da entrada do Cajueiro. A entrada é paga e os ingressos podem ser adquiridos no local.

O cajueiro entrou para o Guiness Book em 1994, porém sua história começou bem antes, em 1888, quando foi plantado pelo pescador Luis Inácio de Oliveira, que faleceu aos 93 anos, sob as sombras da árvore. Sem nenhuma aplicação química, o cajueiro teve um crescimento descontrolado, que pode ser explicado por duas anomalias genéticas. A primeira fez com que os galhos da árvore crescessem para os lados, ao invés de para cima. Com o próprio peso, os galhos se curvaram para baixo, tocando o solo, dando partida à segunda anomalia: a criação de raízes, que passaram a crescer novamente, como se fossem troncos de outra árvore. Essas raízes podem chegar a 10 metros de profundidade.

Atualmente, a árvore cobre uma área de aproximadamente 8.500 m², com um perímetro em torno de 500 metros, tamanho equivalente a 70 cajueiros normais. O mais interessante é que a árvore ainda produz  frutos, com uma safra de cerca de 70 a 80 mil cajus, o equivalente a 2,5 toneladas. Durante a visita em novembro, pudemos experimentar um suco feito do caju da própria árvore, bem docinho. O caju é formado por duas partes: a fruta que na verdade é a castanha e o pseudofruto que é o pedúnculo floral, que corresponde ao corpo carnoso. No local são vendidas castanhas extraídas dos cajus do cajueiro.

A visitação é feita por meio de passarelas pelo interior dos galhos do enorme cajueiro. Placas mostram a história do maior cajueiro do mundo e as explicações científicas para as causas do gigantismo da árvore. Em alguns momentos é possível se “tornar um caju”, fazendo fotos em uma ilustração da fruta e compartilhar nas redes sociais, já que o local disponibiliza conexão wi-fi gratuita. Mais adiante, existe um mirante no próprio cajueiro, de onde se tem uma visão panorâmica de toda copa da árvore e da praia de Pirangi do Norte ao fundo.

Apesar do Cajueiro de Pirangi ainda ser considerado o maior do mundo, o título vem sendo reclamado pelos piauienses, que alegam que o Cajueiro-rei em Cajueiro da Praia, no Piauí, já tem um copa maior que o de Natal.

Independente disso, vale a pena conhecer o Cajueiro de Pirangi e aproveitar para fazer umas comprinhas de artesanato e castanha de caju na feirinha próximo ao local. As visitas podem ser feitas das 07h30 às 17h30, diariamente, com possibilidade de serem guiadas.

Vai ficar mais tempo em Natal, aproveite e conheça o roteiro do que fazer em Natal em 4 dias, preparado pelo blog Partiu Viajar.

Endereço: Av. Dep. Márcio Marinho, 2 – Parnamirim – Tel.: (84) 3238-2975

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *