Madrid

Os museus do Triângulo de Ouro da Arte

Conhecido como Triângulo de Ouro da Arte, o grupo constituído pelos três museus madrilenhos mais importantes, merece visita obrigatória quando estiver em Madrid. A localização do Museu do Prado, do Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia e do Museu Thyssen-Bornemisza, forma um triângulo perfeito, conferindo o nome a esses expoentes da arte.

A proximidade da localização entre esses museus permite que sejam visitados em um mesmo dia. Importante prestar atenção aos horários de funcionamento de cada museu, em especial aos horários de gratuidade de cada um.

Museu Thyssen-Bornemisza apresenta a coleção particular do Barão Heinrich Thyssen-Bornemisza e de seu filho, Hans Heinrich, reunindo obras desde 1920. A coleção é uma das mais importantes coleções particulares de pinturas do século 20, incluindo obras-primas de Goya, Van Gogh e Picasso. A coleção permanente é composta por quase 1000 pinturas, abrangendo a história da arte do século 13 até o século 20, passando por obras religiosas, expressionistas e de PopArt, expostas em três andares do museu.

O museu foi inaugurado em 1992 no Palácio Villahermosa e em 2004, uma parte significativa da Coleção Carmen Thyssen-Bornemisza foi adicionada. O projeto de renovação do Palácio Villahermosa para abrigar a coleção e arte foi de Rafael Moreo. O jardim foi transformado em um hall de entrada ao ar livre, se tornando um ponto de encontro e área de relaxamento e dando ao museu uma entrada menos movimentada. Ali também está o Las Terrazas del Thyssen, um restaurante que funciona de junho a setembro, no período do verão.

O Museu Thyssen-Bornemisza funciona de terça a domingo das 10h às 19h, com horário prolongado até às 22h no verão. Nas segundas, o museu abre de 12h às 16h. O valor do ingresso em fevereiro de 2018 era de € 12.

Talvez o mais famoso museu de Madrid seja o Museu do Prado, que reune a maior coleção do mundo de pintura espanhola, abrangendo obras datadas dos séculos 15 a 19. O edifício foi projetado pelo arquiteto Juan de Villanueva em 1785, em estilo neoclássico, por ordem de Carlos III. Em 1819, o museu foi inaugurado com obras de arte ligadas à história da Espanha, em especial com obras de Velázquez e Goya, pintores retratados também em esculturas do lado de fora do museu, e junto a Murillo também dão nomes às entradas do museu.

A coleção permanente do museu está disposta em ordem cronológica distribuída em três pisos, enquanto as exposições temporárias se encontram no prédio dos Jerônimos, prédio mais recente projetado pelo arquiteto Rafael Moreo. Entre as principais obras é possível contemplar “A Adoração dos Pastores” de El Greco, “Saturno devorando um filho” de Goya e “As três Graças” de Rubens.

O Museu do Prado funciona de segunda a sábado das 10h às 20h e aos domingos das 10h às 19h, com entradas permitidas até 30 minutos antes do horário de fechamento. O valor do ingresso em fevereiro de 2018 era de € 15 e nas últimas duas horas do dia (18h-20h e 17h-19h no domingo) o acesso é gratuito, porém são formadas grandes filas.

Localizado no antigo edifício do Hospital Geral de Madrid, o Museu Reina Sofia foi aberto em 1990 como um museu de arte moderna e contemporânea na Espanha. O edifício atual é projeto dos arquitetos José de Hermosilla e Francisco Sabatini, deste último recebe o nome. A fachada tem como destaque as torres de elevadores de vidro e aço, desenhadas em colaboração com o arquiteto britânico Ian Ritchie.

Em 10 de setembro de 1992, o Rei D. Juan Carlos e sua esposa Sofia inauguraram a coleção permanente do Museu Nacional de Arte Reina Sofía, que até então tinha hospedado apenas exposições temporárias. O Edifício Sabatini abriga a Coleção 1 com obras do cubismo e surrealismo, entre 1900 e 1945, e a Coleção 2 com obras de 1945 a 1968, incluindo peças minimalistas e criações do PopArt. Em 2005, foram inauguradas as ampliações projetadas por Jean Novel, que dá nome ao edifício que abriga a Coleção 3 – Da Revolta ao Pós Modernismo.

Sem dúvida, a grande atração do museu é o enorme quadro “Guernica” de Pablo Picasso, obra em protesto contra a Guerra Civil Espanhola, encomendada para a Exposição de Paris. Outros artistas se destacam no museu, como Salvador Dalí e Miró, que inclusive tem uma escultura exposta nos jardins internos do museu, o “Pássaro Lunar”.

O Museu Reina Sofia está aberto segunda e de quarta a sábado das 10h às 21h, permanecendo fechado às terças. Aos domingos, funciona de 10h às 19h, sendo que a partir das 13h30 o acesso é gratuito apenas para a Coleção 1, que inclui as principais obras, incluindo o “Guernica”. O valor do ingresso em fevereiro de 2018 era de € 10.

Museo Nacional Thyssen-Bornemisza – Paseo del Prado, 8 – Tel.: +34 91 791 1370

Museo Nacional del Prado – Calle Ruiz de Alarcón, 23 – Tel.: +34 91 330 2800

Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia – Calle Santa Isabel, 52 – Tel.: +34 91 774 1000

Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *