Albaicín
Granada

Tour para conhecer o bairro de Albaicín

A herança moura de Granada ainda pode ser vista não só em Alhambra, mas também no bairro de Albaicín (Albayzín). Junto com o bairro de Sacromonte, caminhar por suas ruas é vivenciar um pouco dessa herança. E sem dúvida ter uma das mais belas vistas de Alhambra.

Na fase islâmica, a atual Albaicín era um conjunto de diferentes centros urbanos independentes. O bairro, que recebe esse nome pelo monte Albayzín, teve sua maior influência na época dos Nasridas. Ele mantém o traçado urbano do período mouro. Ruas estreitas sinuosas em uma rede intrincada que se estende desde o Mirante San Nicolás e a Calle Elvira, ao longo do rio Darro. Em dezembro de 1499, o Albaicín foi o ponto de partida de uma rebelião em Granada. O motivo foi a conversão forçada da população muçulmana ao cristianismo, durante a Inquisição Espanhola.

Tour pelo Albaicín com Granada a Pie

Nosso tour pelo bairro foi feito com a empresa Granada a Pie, a mesma que nos guiou por Alhambra. Optamos pelo tour conjugado, em que visitamos a cidadela no início da manhã e o bairro de Albaicín no final da tarde.

Nosso ponto de encontro foi a Plaza Isabel la Catolica, de onde seguimos em um roteiro a pé. A primeira parada foi na Igreja de Santa Ana, uma igreja de tijolos do século 16 em estilo mudéjar. Construída em 1537 sob projeto de Sebastián de Alcántara, é também conhecida como Igreja de San Gil e Santa Ana. Portão renascentista com grotescos e colunas coristas, uma torre construída entre os anos de 1561 e 1563 por Juan Castellar e no interior, cinco capelas e um teto em caixotão. Em frente à igreja está a Real Chancillería, construída em 1530 pelos Reis Católicos com uma imponente fachada renascentista.

Seguindo pela Carrera del Darro podemos observar pontes e fachadas de edifícios antigos, alguns restaurados. A rua recebe esse nome por percorrer em paralelo o curso do rio de mesmo nome. Datada do séculos 11, a Puerta de los Tableros cuja ponte de uso militar serviu como conector para o provimento de água, é uma das atrações do local. Na esquina da rua Bañuelo está a mais antiga terma mourisca. Datado do século XI, o El Bañuelo, se encontra aberto à visitação até hoje. Porém, não tive tempo de conhecer.

Tour pelas ruas do Albaicín

Subindo para Sacromonte

Logo após, seguimos pelas ruas do bairro Sacromonte. Antigamente chamado Valparaíso, passou a receber esse nome com o descobrimento das Santas Cuevas em 1595. São cavernas escavadas na encosta onde viviam os ciganos de Granada. Essas cavernas foram convertidas em tablas de flamenco, restaurantes, discotecas e alojamentos turísticos. Por isso se torna uma área bem agitada à noite. Nas proximidades está a Igreja de San Salvador, construída sobre a Grande Mesquita de Albaicín, que ainda conserva o pátio de ablução, bem como o Convento de Las Tomasas.

O tipo tradicional de casa no Albaicín é o carmen. Ele consiste de um casarão com decoração mourisca cercado por um muro alto que a separa da rua. Ocasionalmente inclui um pequeno pomar ou jardim. Muitos desses cármenes hoje abrigam restaurantes que em sua maioria abrem apenas nos meses mais quentes.

Um que é aberto à visitação é o Carmen Museo Max Moreau, doado a Granada pelo pintor belga Max Leon Moreau. Foi a casa onde ele viveu até sua morte em 1992 e atualmente transformado em museu desde 1998. Além de conhecer como é um carmen por dentro, os visitantes podem ver pertences e obras do pintor, por exemplo, além de aproveitar a linda vista de Alhambra.

Tour Albaicín
Carmen Museo Max Moreau

Gran finale com vista

Ao final de nosso tour, chegamos ao Mirador de San Nicolás de onde se tem certamente a melhor vista para a Alhambra, permitindo uma imagem global do complexo monumental. Infelizmente quando estivemos lá a Igreja de San Nicolás estava em obras e não pudemos visita-la, mas aproveitamos para comer uns petiscos e tomar uma taça de vinho no Bar Kiki na praça ao fundo, enquanto aguardávamos pelo belíssimo pôr do sol que presenciamos mais tarde.

Vista do Mirador San Nicolás

Apesar de existir um ônibus que leva do alto do Albaicín para o centro de Granada, descemos a pé pelas ruas do bairro, onde estão vários restaurantes e lojas. Em 1994, o Albaicín foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO como uma extensão dos monumentos da Alhambra e do Generalife. Por isso, a visita ao bairro é tão interessante.

Leo Vidal
Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *