Palácio da Bolsa
Porto

Como é o tour pelo interior do Palácio da Bolsa no Porto

Um prédio histórico de grande importância no Porto, o Palácio da Bolsa é aberto a visitação em um tour guiado em diversos idiomas. As vagas são limitadas por tour. Por isso, o ideal é reservar com antecedência, para fazer a visita no idioma de preferência. Eu não fiz a reserva antes, apesar de ter passado em frente várias vezes. Por essa razão, tive que optar pelo tour em espanhol, mas que valeu muito a pena.

Histórico

O Palácio da Bolsa, ou Palácio da Associação Comercial do Porto, é um edifício de estilo neoclássico. Começou a ser construído em 1842, no local das ruínas do Convento de São Francisco, destruído por um incêndio. O projeto do edifício foi do arquiteto Joaquim da Costa Lima. As obras e decoração do Palácio da Bolsa foram concluídas em 1909, quase 70 anos depois. Com a implementação da República em outubro de 1910, o Palácio da Bolsa foi inventariado e desocupado. O edifício foi devolvido à Associação Comercial em 1918.

Com uma mistura de estilos arquitetônicos, o edifício apresenta em todo o seu esplendor traços do neoclássico oitocentista, arquitetura toscana, assim como o neo-paladiano inglês.

A visita ao Palácio da Bolsa

A visita se inicia pelo Pátio das Nações onde se destaca a cúpula de ferro e vidro de autoria de Tomás Soller. Ladeada por 20 brasões representando os países com os quais Portugal mantinha relações de amizade e de comércio, na época. O pavimento é revestido por mosaico cerâmico inspirado nos modelos greco-romanos. Esta área serviu até meados da década de 90 do século 20, como palco para a Bolsa de Valores do Porto.

Palácio da Bolsa Porto

Seguindo para o primeiro andar, passamos pela Escadaria Nobre com pormenores decorativos em granito e dois lindos lustres, obras de Soares dos Reis. Detalhe a ser observado são os afrescos abaixo da claraboia. Em seguida, passamos pela Sala do Tribunal (A), antigo tribunal de comércio, com decoração no estilo renascentista francês, com pinturas de Veloso Salgado. Atualmente é usada pelos membros da Confraria do Vinho do Porto.

No mesmo andar, a Sala do Telégrafo (B), onde está exposto o telégrafo da Associação Comercial do Porto. Ele servia para informar quando as mercadorias chegavam ao porto. Ao lado, o Gabinete de Gustave Eiffel (C) onde ele trabalhava durante sua estadia no Porto. Uma das salas mais importantes do prédio, a Sala do Presidente (D) ostenta um pavimento marchetado com madeiras exóticas de origem brasileira e africana. As obras em óleo sobre tela são de Marques de Oliveira. Têm como temática os trabalhos tradicionais da civilização romana. Chama atenção a lareira em mármore.

Na Sala das Assembleias Gerais, o revestimento é todo feito em gesso pintado, imitando madeira. Nela se realizam anualmente duas assembleias gerais da Associação Comercial do Porto. Na Sala dos Retratos decorada no estilo Luis XVI, uma homenagem aos seis últimos reis de Portugal. Todos retratados em grandes pinturas, incluindo D. Pedro IV – o nosso D. Pedro I. O que mais sobressai neste espaço é sem dúvida o seu pavimento com um raro efeito visual de profundidade ilusória.

Por fim, o tour chega à exuberante Sala Árabe. A construção foi responsabilidade do arquiteto Gustavo Adolfo Gonçalves de Sousa. Ele se inspirou no Palácio de Alhambra, em um estilo que eles chamaram de moderno exótico. O pavimento é constituído pelas melhores madeiras, como por exemplo, mogno, jacarandá, pau-cetim, pau-rosa e plátano. É a mais importante sala de atos oficiais da cidade do Porto. Funciona ainda como palco de concertos, por conta de sua acústica.

A visita termina neste ponto. Entretanto, como o Palácio da Bolsa ainda é usado como local de trabalho, pode ser que alguma dessas salas esteja ocupada por algum evento. Neste caso, a visitação fica vetada ao público. 

O Palácio da Bolsa está aberto para visitação diariamente de 09h às 18h entre abril e outubro; entre novembro e março, os horários são de 09h às 13h e de 14h às 17h30. A visita é obrigatoriamente guiada e tem duração de aproximadamente 45 minutos, realizada em quatro idiomas: português, inglês, espanhol e francês. O ingresso individual custava 9€ em agosto de 2018. Aproveitei um pacote que dava direito à entrada na Fundação de Serralves, que visitei no dia seguinte.

Endereço: Rua Ferreira Borges – Tel.: +351 223 399 000

Leo Vidal
Carioca, biólogo, apaixonado por música, filmes e sempre disposto para novas viagens. Compartilha suas dicas de viagem há mais de 5 anos, sempre antenado ao melhor da gastronomia e hotelaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *